Eu não conheço os pais do meu namorado

O namorado é dele não meu, não tenho o por que ficar lá em baixo -Falou encarando a mãe Mikoto - NÃO QUERO SABER DE MAIS NADA VOCÊ VAI TOMAR BANHO AGORA WU QUERO VER VOCÊ LA EM BAIXO E NÃO ME IMPORTA QUE HORAS SEJA MAIS VOCÊ VAI LA PARA BAIXO RECEBER O NAMORADO DO SEU IRMÃO ASSIM COMO TODOS Meu namorado é estudante e quase nunca tem dinheiro, sempre que saímos eu que pago tudo, eu que busco e levo em casa, eu entendo em termos pois ele estuda a noite e daria pra arrumar um trampo mas como o pai o sustenta e paga a faculdade ele não se preocupa tanto, as vezes eu me importo um pouco de ter que pagar pois me sinto um homem dá relação, no meu aniversário ele com a minha mãe ... Minha mãe ela me prende muito também tenho 15 anos, ela não deixa eu sair pra lugar nenhum, ela só deixa eu sair com Meu namorado de vez em quando, eu não gosto de convesar pelo convesar , pra mim não é a msm coisa, meu namorado também fala que não gosta de fica longe, nem de falar por telefone,ela nem deixa ele vim aqui em casa e nem ... A meses eu não tenho um bom relacionamento com meus pais, mal converso com eles. Tudo oque eu faço é motivo de brigas e discussoes, as veses por motivos idiotas. Eu tento dar o meu melhor mas não é o suficiente. Eles então sempre me cobrando (excessivamente), isso me sufoca muito, e quando deixo de … Conheci ele e estamos juntos há 7 meses, namorando 1 mês. Não conheço os pais dele nem os amigos, frequentamos a casa um do outro, moramos sozinhos. Ele tem um filho, dia sim dia não está com ele. Há dois meses só nos vemos aos domingos, durmo lá ou ele aqui. Entendo que as vezes ele está com o filho e fica sexta e sábado. Que significa sonhar com conhecendo os pais do meu namorado? Significado de conhecendo os pais do meu namorado na resultados da pesquisa:. Dicionário dos Sonhos - interpretação de sonhos com conhecendo os pais do meu namorado. & significado dos sonhos com conhecendo os pais do meu namorado.Cerca de 325 resultados em dicionário de sonhos, onde você pode encontrar o símbolo, você está ... MEU NAMORADO FALA QUE EU tenho que achar normal e ser a compreensiva. Não suporto a ideia de ter que passar o resto da minha vida ao lado dela em todos os feriados! Sinto-me invadida quando ela esta, a privacidade como casal invadida, peço para meu namorado fazer algo e ele diz não poder, porque se não estaria prejudicando o filho (10anos). Pai, eu não conheço teus planos.. Mas tu conhece meu Confira aqui as melhores Frases de Deus .Temos também diversas Categorias de Frases Para Status. Meus sogros me amam, torcem pra dar certo e casarmos. Eu conheço meu namorado e sei como ele não aprova as atitudes do pai, ele não bebe, não fuma.. não sei o que fazer, não quero magoar meus pais e não quero perder meu namorado. Ele sempre cuida de mim e faz de tudo pela gente.. A vontade é de sair de casa e morar com ele.. Socorro Eu me lembro a primeira vez em que fui conhecer a família do meu namorado, eu passei mal e dei um vexame, mas não parou p or aí.. os encontros seguintes eu ainda estava morrendo de vergonha do 1° encontro e só fui piorando a situação e passando mais vergonha ainda, então depois desse trauma sempre dou as melhores dicas pras amigas que vão conhecer os pais do namorado, e elas se saem ...

A Nice Girl Cínica

2020.08.21 01:25 anonima-sua-amiga A Nice Girl Cínica

Oi Luba, editores, gatas, papelões e turma que está a ver.
Eu sei que publiquei uma história a um dia atrás sobre eu ser babaca, mas eu me senti bastante confortável para falar sobre essa história aqui, a que ocorreu mais recentemente. Então vou contar ela assim mesmo.
OBS: tem print
Eu sempre fui uma menina sociável, até eu ter chegado nos meus doze anos. Na época, eu entrei em uma espécie de depressão e comecei a ficar menos sociável, mas meus pais sempre disseram que era alguma frescura minha e não ligaram muito, até os dias de hoje.
Quando fiz treze anos, eu fiz várias amizades virtuais, e percebi que eu conseguia interagir melhor pela internet do que na realidade e desenvolvi um problema em socializar com pessoas cara a cara, então eu converso com as pessoas mais por mensagem mesmo (tanto que nessa quarentena tá ajudando mais para esse fato).
Nesses amigos virtuais, eu fiz com uma menina que era dois anos mais nova que eu, e naquela época eu não mantinha muito contato com ela, mas conversávamos de vez em quando.
Minha mãe percebendo que eu estava com muitos amigos virtuais e passando a ficar mais "tanto faz" pelos amigos que conheço, ela me proibiu de falar com qualquer ser humano na internet, me fazendo me afastar dos meus amigos virtuais, e isso até que me ajudou em voltar a socializar, mas eu ainda sentia falta dos meus amigos virtuais.
Perdi contato com muita parte desses amigos, mas com essa tal menina, eu ainda manti contato mesmo assim.
No início desse ano começamos a conversar sobre a nossa vida e que rumo ela tinha tomado (eu tinha acabado de fazer quatorze - fevereiro - e ela ainda iria fazer doze) nesse último ano.
Papo vai, papo vem, começou a quarentena e eu só mantive contato com meu namorado, meu melhor amigo e ela, mas com meu melhor amigo as coisas começaram a desandar e nós perdemos contato.
Nesse meio tempo em que conversava com ela, eu tinha terminado com meu namorado por falta de sentimento do meu lado, e não queria mais iludir o pobre coitado. Ela disse que eu fiz bem em terminar e se quisesse conversar sobre qualquer coisa, ela estaria ali pra mim quando possível.
Nós conversávamos sobre várias coisas, eu gostava do nosso papo e eu ficava muito triste quando ela não me respondia. Nesse tempo eu não sabia, mas eu tinha criado uma dependência emocional sobre ela, e isso aumentou ainda mais a minha depressão, mesmo que eu não soubesse.
Um mês e meio atrás, ela me disse que sua mãe tinha a proibido de falar comigo, e que ela só poderia falar muito raramente, quando a mãe não estivesse em casa e visse ela conversando comigo. Chorei e muito, mas respondi que estava tudo bem, não queria causar problemas pra ela.
Esse afastamento fez muito bem pra mim, eu voltei a falar com meus amigos, conversamos o dia todo e eu já não ficava tão mais triste porque ela não me respondia, até tinha chegado a esquecer da existência dela.
Só que eu acho que ela percebeu que eu tinha esquecido e me chamou para conversar, falando que seu play store tinha sumido e que era pra eu dar alguma ideia de alguma coisa pra ajudar ela. Eu tinha achado isso extremamente aleatório, mas respondi que não sabia, e ela ainda continuou reclamando.
Acho que ela percebeu que eu não mandava mensagem pra ela igual a antes, mesmo ela me chamando pra conversar. Ela chegou falando que queria manter contato comigo de novo, como se nada tivesse acontecido.
Eu estranhei lógico, e perguntei se a mãe dela tinha deixado ela voltar a falar comigo, já que como ela mesma disse, a mãe dela demorava a esquecer as coisas (eu perdi o print).
Mas ela, simplesmente, se fez de cínica, se perguntando se ela tinha falado isso e eu respondi que sim (tenho print dessa parte), ela tinha dito e ficou falando que o fato dela ter perdido o aplicativo da play store ela não se lembrava
Eu esqueci dessa parte por um tempo, até que eu simplesmente vi que aquilo não tava me fazendo bem e decidi acabar com tudo que tínhamos.
Ela simplesmente surtou, falou que eu sem ela sou só uma depressiva de merda que busca carinho e amor nas pessoas, e que só sou iludida por todo mundo. Na hora desabei, bloqueei o contato dela e fiquei chorando por horas e horas. Ela sempre tinha sido tão carinhosa comigo e eu ainda mais com ela, e ela veio e me tratou desse jeito? Sério?
Ela sabia que eu tinha problemas psicológicos, mas mesmo assim ela fez isso, e na hora eu tinha percebi onde tinha me metido, porque me lembrei de uma coisa que tinha ocorrido um tempo depois dela não falar comigo era minha primeira vez presa dentro do banheiro.
No começo eu até tinha achado de boa ficar presa dentro do banheiro mas quando começou a entrar aqueles bichinhos de luz, eu simplesmente surtei. Tive o meu primeiro ataque de pânico, já que tenho fobia de insetos e o banheiro estava infestado deles.
Eu tinha postado que tinha faltado meu inglês por isso e ela começou a me zoar sobre isso, eu falei que tava me sentindo mal e que ela parasse de zoar mas ela continuou zoando. Até que eu pedi de novo e ela parou.
Não tenho print dela surtando pois minha mãe me pediu para apagar, já que ela me viu chorando e perguntou o que houve, eu a mostrei e ela falou pra eu apagar e bloquear a menina.
É isso Lubisco e turma (prints dela dando se dando de cínica no drive: https://drive.google.com/folderview?id=12V1ncY9NpWJ-iM40aMdQsv4A6HyTw_2p )
submitted by anonima-sua-amiga to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.14 04:26 polvilho_cool_ História de amor pique Sword Art Online

Bom dia, boa tarde, boa noite e um olá chamegoso para quem está lendo. O que você vai ler a seguir é uma coisa que aconteceu na minha vida de gamer mirim e foi retirada do meu twitter (porque fiz uma thread contando). Boa leitura :)
HinataDragon era uma pequeno otaku de catorze anos que se apaixonou por um anime chamado Sword Art Online. Após ter assistido aquele singelo anime, ficou encantado com o mundo dos games, porém seu pai que era dono do único computador da casa, não queria que ele baixasse algum jogo naquele pc que só tinha os seus humildes 4G de memória.
HinataDragon ficou desolado. Queria porque queria aproveitar a vida que os games poderiam te proporcionar. Nunca teve um vídeo game pra chamar de seu, e sempre se sentiu de fora dos termos gamers que via por aí.
Mas então, ele teve uma ideia.
Baixar um jogo escondido.
Mas é claro que seria difícil por conta da internet que era muito lenta e sempre roubavam os cabos de cobre da linha telefônica, deixando-o sem internet.
Mas não desistiu, e tentou baixar algum jogo mesmo assim.
Mas desistiu porque eram muitas horas de download e ele só tinha uma hora de computador por dia.
HinataDragon ficou desolado novamente. Começou a chorar pelos cantos e de tanto chorar, seu pai deu a autorização para que ele podesse baixar algum jogo.
HinataDragon ficou muito feliz e empolgado com aquilo, mas o que baixar? Não conhecia nenhum game que era parecido com SAO.
Foi aí que jogando Guitar Flash, ele viu um anúncio de um jogo que poderia aliviar esse fogo por mmorpg de anime dele.
O jogo se chamava Grand Fantasia.
E ele comemorou aquele achado jogando uma música do Slipknot no Guitar Flash.
No dia seguinte, já tratou de baixar aquele pequeno tesouro. A demora de mais de seis horas de download valeu muito a pena quando ele estava fazendo o seu primeiro personagem que se chamava HaruYukiDragon, mas a vida dessa personagem não durou muito porque HinataDragon não sabia como que jogava aquele estranho jogo. HaruYukiDragon era um mago que não teve sucesso.
Porém, HinataDragon queria magia. Por isso, fez outra personagem que se transformou numa belíssima Necromante que invocava mortos para auxiliar na sua jornada.
Porquê esse nome? Porque o cabelo da Necromante parecia o da Hinata de Naruto mesmo.
E porquê "dragon" era o sobrenome dessas personagens? Por conta de um colar que aquele pequeno jogador ganhou de seu crush da época.
Passado um tempo, na Península do Osso, lutando contra urubus, jaguatiricas e peixes bípedes, HinataDragon viu um jogador ao longe com problemas para matar um monstro raro.
HinataDragon foi correndo até ele e o ajudou a derrotar aquela besta fera. O jogador agradecido disse:
"Valeu "
"De nada " respondeu HinataDragon.
Mas mal sabia ele que esse jogador poderia mudar sua vida gamer para sempre.
No dia seguinte, quem estava em apuros era HinataDragon. Estava lutando contra o mesmo monstro que aquele jogador desconhecido teve problemas no dia anterior.
Mas antes mesmo de morrer, aquele pequeno jovem jogador veio do além e o ajudou a vencer a batalha.
"HINATADRAGON!! NOS ENCONTRAMOS NOVAMENTE!!"
"Qual a necessidade dele ter falado em caps lock?" pensou HinataDragon confuso.
"Ah Olá. Obg pela ajuda" respondeu HinataDragon.
"Tudo bem" respondeu aquele jogador misterioso. O que ele queria?
"Bom" disse HinataDragon por fim "eu tenho que completar algumas missões. Quer vir comigo?"
"Quero sim "
Então lá se foram aqueles dois jogadores (que não sabiam nada um sobre o outro) lutar com monstros que davam respawn a cada dois minutos.
HinataDragon influenciado pelo personagem Kirito, era um jogador solo. Não fazia questão de entrar em nenhuma guilda e não via vantagem em entrar em alguma também, mas o seu mais novo aliado, Tio Frank, fazia parte de uma.
"Você poderia sair da sua guilda e andar comigo" disse HinataDragon uma vez "poderíamos ser grandes jogadores juntos".
Ele teve essa ideia por conta do Kirito e da Asuna de SAO também.
"Não posso" respondeu Tio Frank "eu conheço a líder da guilda na vida real, ela iria ficar muito zangada comigo".
"E daí? É só um jogo".
"Eu acho que não seria uma boa ideia. Não quero ficar mal com ela".
"Ok..."
HinataDragon estava desolado (mais uma vez). Era primeira vez que fazia uma amizade dentro de um jogo, queria aproveitar isso ao máximo.
O tempo se passou, e os dois foram upando aos poucos, mas HinataDragon estava cada vez mais íntimo daquele avatar vestido de cavalheiro.
Ninguém falava de suas vidas reais no jogo e era melhor assim, mas com o tempo, Tio Frank queria saber mais sobre HinataDragon. HinataDragon que já tinha um histórico meio ruim com estranhos na internet, ficou com receio de expor essas coisas e aproveitava essa curiosidade para upar mais que o seu companheiro.
"Se matarmos o Xerxes no Platô Belcar, eu revelo algumas coisas sobre mim".
Xerxes era um monstro de guilda que dropava itens que eram necessários para HinataDragon, e lá foram eles para o Platô Belcar para matar aquele monstro de nível 34.
Mas era claro que não iriam obter sucesso naquela missão. HinataDragon sabia que matar esses tipo de boss era algo muito difícil pra somente dois jogadores conseguirem. E além do mais, eles não eram de níveis que poderiam ter alguma chance contra Xerxes.
No fim, perderam a batalha e Tio Frank não teve suas respostas. Ponto para HinataDragon que tinha planejado aquela derrota para não revelar coisas sobre sua vida ao seu companheiro.
O tempo passou, e nem sempre Tio Frank aparecia para se unir a aventura de HinataDragon pelos reinos de Kaslow. HinataDragon estava ficando cada vez mais forte fazendo pequenas missões e ganhando ouro dos NPC que encontrava pelo seu caminho.
Um dia nas Montanhas Perdidas, Tio Frank resolveu aparecer de surpresa. HinataDragon ficou espantado com o retorno do amigo que disse:
"Eu peguei virose, não estava com forças nem pra entrar no jogo".
HinataDragon achou aquela uma resposta plausível, mas não esperava que o seu companheiro poderia fazer uma proposta.
"Hey... Hinata... Você sabe que as pessoas podem ser namorados no jogo não sabe?"
E era verdade, no jogo tinha como namorar pessoas pra ganhar mais experiência e prêmios diferentes. Mas HinataDragon não queria se comprometer com ele dessa forma e então, lembrando do convite para serem uma dupla imbatível, propôs:
"Se você se juntar comigo nessa jornada e sair da sua guilda, eu aceito".
Tio Frank tentou argumentar, mas estava se apaixonando cada vez mais por aquele avatar de necromante de Hinata, e disse:
"Então olhe acima do meu nome".
(A nome da guilda ficava acima do nome do jogador)
E foi então que HinataDragon viu aquele nome esquisito da guilda de Tio Frank sumir.
HinataDragon ficou muito feliz que agora poderia viver o que queria, ser um grande jogador junto com alguém que também era um grande jogador, mas como promessa é dívida...
"Vamos a Ilha Angoya, quero que esse momento seja especial" disse Tio Frank.
A Ilha Angoya era uma ilha onde aconteciam os casamentos dos jogadores que eram namorados e tinham ouro o suficiente pra pagar por uma festa (que era muito caro).
Chegando na ilha, Tio Frank levou HinataDragon para uma praia. Era bem na hora do pôr do sol (os dias decorriam no jogo, então anoitecia e amanhecia) o que deu o maior clima para os dois avatares.
Tio Frank retirou seus equipamentos e armadura e entrou na água, enquanto HinataDragon entrou no mar de roupa mesmo.
"Porque você não tirou suas roupas?" perguntou Tio Frank.
"Porque elas não molham no jogo ué" respondeu HinataDragon.
"Bom, eu sei que pode parecer estranho, mas eu acho que estou gostando de você. E eu nunca senti isso por ninguém antes" declarou Tio Frank.
"Mas nós nem nos conhecemos".
"Eu sei, e mesmo assim, acho que é genuíno isso que sinto".
"Tio Frank..."
Então apareceu na tela de HinataDragon a seguinte coisa:
"Tio Frank declarou o seu amor a você. Aceita?"
HinataDragon não queria que eles se tornassem mais do que amigos de jornada por Kaslow, então, acaba recusando.
"Mas você prometeu!! Eu saí da minha guilda por você !!".
"Eu sei... Mas... Não quero isso sabe? Só quero uma amizade com alguém legal no jogo e matar monstros de boas..."
"ENTÃO PROCURE POR OUTRA PESSOA!!!"
Tio Frank sai da água que não molha e coloca sua armadura. Pega a sua montaria "Oração do vento" (que é tipo um avestruz) e vai embora da praia deixando HinataDragon sem o seu único amigo do jogo.
O tempo passa, e nada do retorno de Tio Frank. HinataDragon estava entediado, era chato realizar as missões sozinho.
Então resolveu pedir perdão ao ex companheiro de missão escrevendo uma carta:
"Dscp por aquilo. Podemos voltar a ser amigos?"
"só se vc aceitar namorar comigo. É só no jogo, não vou tentar nada além disso"
"Ok... Onde você está?"
"Em Jale"
"Já estou indo"
Chegando em Jale, HinataDragon achou Tio Frank no portal de teleporte.
"Tio Frank declarou seu amor por você. Aceita?"
HinataDragon hesita, mas aperta no botão que dizia:
"Sim"
"COMO O AMOR É LINDO mais 5% de exp quando o jogador está do lado do amor"
Esse era o status que apareceu abaixo do nome de HinataDragon que se arrependeu na hora de ter aceito.
HinataDragon não quis mesmo aquilo e já foi procurando algum jeito de poder acabar com essa situação, e dois minutos depois o status mudou para "maldição do coração partido: o jogador não pode aceitar uma declaração de outro jogador por 24 horas"
"Mas Hinata..." falou Tio Frank "porque fez isso??"
"Eu não quero isso!"
E sumiu no portal de teleporte.
HinataDragon perdeu seu amigo. Após o que houve, Tio Frank nunca mais apareceu no jogo.
HinataDragon após alguns meses jogando Grand Fantasia sozinho, começou a enjoar e deixou o jogo de lado.
E nunca mais eles se encontraram de novo.
submitted by polvilho_cool_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.05 01:36 Biscoitiiii O dia que eu fui mais ingênuo do que de costume.

Olá Luba, editores, gatas, células na barba quase inexistente do luba, set gamer do Luba e finalmente: a Turma que está a ver e observar esse post.
PS: Sou de SC, prepara o sotaque.
Tudo começou no fim de 2018. Eu estava na casa do meu pai em SP para fazer uma visita. Naquele tempo eu estava extremamente fragilizado, eu estava meio triste com saudade da minha dog, minha mãe, meu namorado e claro, minha vida normal. Mas eu tinha que esperar até 5 de fevereiro para pegar meu avião de volta pra casa. A data era 31 de dezembro, bem na véspera de ano novo.
Meu pai me levou numa praia pra assistir a queima de fogos. Quando chegamos lá colocamos nossas cadeiras de praia no chão e sentamos enquanto meu pai e minha madrasta bebiam uma lata de cerveja. Depois de beber MUITO eles decidiram ficar lá observando a vista do mar e rindo muito. Eu por minha vez, fiquei com um grupinho de pessoas da minha idade. Os caras eram tão manipuladores que conseguiram me incluir numa brincadeira de verdade ou desafio. Quando chegou minha vez eu escolhi desafio achando que seria só um "Sobe aquela árvore" ou "Faz polichinelo de um pé só" ou até "Beija o Karls" mas ao invéz disso, os seres me desafiam a caminhar por um beco escuro que ficava perto de um prédio. Se acha que eu caminhei você errou. Eu tenho ao menos um pingo de bom senso pra saber que é perigoso até de morrer. Mas como castigo por não ter cumprido o desafio, eu tinha que ficar sozinho num parque que tinha lá perto.
Esse tipo de brincadeira é sério, se vc n fazer oq eles desafiam especialmente nem conhecendo eles... TIROS PODEM ROLAR A SOLTA.
GRAVE engano. Após uns segundos lá, um cara lá chegou e.. de repente.. Puxou as calças dele e começou a fazer "carinho" no binguliruliru dele. Pode parecer mentira, mas eu juro que n é.
A sorte minha foi que o grupinho viu aquilo e me deixou ir embora de lá.
Tudo seguiu tranquilo, mas eu tive a chance de quase ser estuprado. Essa foi minha história, desculpa n falar muita coisa, é a primeira vez que eu conto isso pra alguém e é um assunto que me dá vergonha, mas eu me sinto melhor tirando esse peso do meu ombro.
Eu não tenho mais muito o que dizer, só que eu conheço seu canal desde que vc fez aquele vídeo onde vc fez teste do Buzzfeed pra ver se vc era yag. Então se cuida.
Abraços <♾️
submitted by Biscoitiiii to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.02 00:54 Middle_Topic_844 Nem sei o que escrever aqui

A vida de vocês, as vezes, também parece uma série de comédia bem ruim e que o roteirista é grande filho da puta? A minha parece que é...
É o seguinte, ano passado eu terminei com o traste do meu namorado. Somos ambos do Mato Grosso, mas moramos no nordeste, eu tava super de boa morando sozinha e estudando, batalhando pro meu futuro... até pensando em voltar pra perto dos meus pais. Aí veio o ano novo, eu encontrei com ele, que me disse que estava arrependido (peguei ele me traindo, mas ainda gosto dele...), que não ia conseguir viver sem mim eu igual uma porra de uma pata caí nessa conversinha... concordei em ajudar ele a encontrar um outro lugar, e eu iria embora, achamos o local. Mas veio a COVID-19 e pademia e fecharam as coisas... ele trabalha fora e eu de home office, acabamos voltando a morar juntos.
Aí vem a parte mais sem graça desse roteiro, encontramos um lugar perto do trabalho dele... eu em casa me basta internet. Eis que um dia alguém do trabalho veio buscá-lo. Ele me diz: "deixa tudo apagado pq o pessoal do trabalho acha que eu tô morando sozinho, aí me liberam as vezes de certas coisas, pq eu preciso voltar pra casa, cozinhar e fazer as coisas de casa". Inúmeros alertas ascendendo na minha cabeça... eu fiquei meio assim, mas deixei quieto. Esse puto arrumou um grupo que vai acampar. As vezes ele tem o final de semana de folga e ao invés de cumprir a porra do isolamento social, ele vai acampar... um dia ele sincronizando as fotos no google fotos (não é #ad) , vi de relance uma foto na tela do notebook dele... ele e outra garota na porta da barraca (que ele minimizou a janela na hora, ficou suando frio). Do mesmo jeito do povo do trabalho, quem vem e dá carona pra ele pros acampamentos não sabe que ele está morando comigo, eu conheço muitos desse grupo.
Recentemente eu descobri, ele está namorando com uma garota desse grupo!! OU SEJA, EU QUE ERA A OFICIAL, VIREI AMANTE SEM SABER E AINDA POR CIMA MORO COM O MISERÁVEL, A OUTRA NEM SONHA PQ EU MANTENHO TUDO APAGADO TODA VEZ QUE ELE SAI.
Desculpe os gritos,

Eu sou muito otária mesmo, pro inferno com essa merda toda. Vou embora daqui.
submitted by Middle_Topic_844 to desabafos [link] [comments]


2020.07.25 11:59 tiarinhabaixa Sou babaca por expulsar o meu irmão da casa da minha mãe?

Olá turma, lubinha, gatas e editores! Como cês estão? Eu espero que bem, pois, euzinha não estou. Como diz o título, estou perturbada ultimamente, carregando o peso de uma possível culpa. E pensando ou não em compartilhar com vocês, optei em sim, compartilhar e ter uma visão diferente da minha nessa situação horrível.
Minha mãe teve quatro filhos com quatro homens diferentes, ela não comenta muito sobre nenhum, mas meu pai (atual homem no qual ela está casada), acabou contando sobre esses três homens (que eu espero muito NUNCA conhecer). E antes de contar o que realmente aconteceu para eu ter expulsado meu irmão mais velho, quero que vocês entenda um pouco o contexto dos meus motivos.
Contexto:
Como disse anteriormente, minha mãe acabou se envolvendo com homens diferentes em sua vida, e acabou engravidando de alguns deles. O primeiro homem no qual engravidou a minha mãe, não quis assumir a responsabilidade do filho e abandonou minha mãe grávida, como na época, minha mãe era muito jovem, ela entrou em desespero total e acabou tendo que deixar o meu irmão sobre os cuidados da minha vó. E apesar da minha vó ter aceitado cuidar do meu irmão, é claro que ela julgou minha mãe pela falta de responsabilidade consigo mesma ao ponto de confiar em um homem assim, e os meus "tios" (não considero eles tios) ao invés de dar um apoio, apenas julgou mais e mais ainda. Isso abalou totalmente o psicológico da minha mãe, mas pelo bem do meu irmão, ela aceitou tudo.
O segundo homem no qual ela ficou grávida, era totalmente tóxico e agressivo (sim, ele batia nela) e ela não suportando mais aquela situação, acabou fugindo dele, tendo que deixar outra vez sua filha (minha segunda irmã mais velha) sobre os cuidados da minha vó. Já o terceiro homem, esse, nem meu pai sabe o que aconteceu, mas por observar as reações da minha mãe quando cita sobre esse cara, foi um dos homens no qual mais lhe feriu. E a única que sabe sobre ele, é a minha terceira irmã, que também não gosta nenhum pouco de falar dele.
Vocês devem estar se perguntando do porquê eu está falando disso, então irei explicar: Minha terceira irmã (Vamos chamá-la de Bruna) e eu, fomos criadas juntas pela minha mãe, diferente dos meus outros dois irmãos (Vamos chamá-los de John e Maria) que foi criados pela minha vó. John e Maria, sempre teve ciúmes de nós (Bruna e eu) por ter sido criados pela minha mãe, e eu até entendo o motivo deles, MAS, diferente da Maria que entende os motivos pelo qual foram criados pela minha vó, John não aceita isso, e em todas as brigas que temos com ele, o mesmo aponta que tivemos a oportunidade de sermos criados pela minha mãe e ele não, que ele e Maria foram abandonados.
Minha mãe, apesar de não comentar, é a que mais sofre com esses tipos de comentários, chegando a se culpar por esse sofrimento que meu irmão passou, chorando horrores as escondidas. E isso me afeta para um caralho, porque todo (ou quase) filho não gosta de ver a sua mãe sofrer.
E esses taques de ressentimentos dele, também me afeta, porque eu o admiro bastante, mas amo em um nível extremo a minha mãe, considero ela a mulher mais forte que conheço e para mim ela sempre será um exemplo de que "por mais difícil que seja, um dia vou ser feliz". Eu tento, de coração, entender essas mágoas que o meu irmão tem, mas estou extremamente cansada dessa situação toda. E então, chegamos no dia em que não aguentei mais e acabei tomando uma atitude.
O dia em que expulsei meu irmão de casa:
Minha mãe tem uma regra importante em casa: Não leve seu namorado para dormir em casa, a não ser, que você seja casado com ele. E eu, sempre respeitei essa regra, Bruna também respeitou e Maria também. MAS, meu irmão, acabou não respeitando essa pequena regra e levou sua namorada para dormir aqui em casa.
Ele explicou que a sua namorada havia brigado feio com o seu pai e que a mesma lhe pediu ajuda. Certo, ele acabou ajudando ela, e tudo bem, quem não ajudaria o seu namorado em uma situação dessas, né? MAS, o real problema disso, é que ele não havia comentado que ela iria ficar aqui, só comentou quando ELA já estava aqui.
E isso só não deixou minha mãe puta, como também me deixou puta de raiva com ele. Mas acolhemos a garota muito bem, dando nosso apoio emocional. Eu acabei dividindo meu quarto com ela (era uma das condições para ela dormir aqui, já que ele desrespeitou uma regra que todas as outras respeitou), e ele mesmo não gostando da ideia, acabou aceitando.
Okay, as coisas estavam resolvidas, o que daria de errado? Bom, o simples fato de que ele, no meio da noite, entrou no meu quarto e ficou com ela. "Mas o que tem de errado nisso?", não teria nada de errado, se fosse o fato dele ter apenas ficado ali, PORÉM, os dois acabaram TRANSANDO no MEU quarto e na MINHA presença. Ele achou que estava dormindo, e eu realmente estava dormindo de início, mas como tenho sono fraco, acabei acordando e presenciando essa cena desconfortável. E aquilo foi a gota da água.
Eu já não estava bem com a simples razão de ter que dividir o meu quarto com alguém que não conheço, ela era a namorada dele e não a minha, mas aceitei mesmo não gostando da ideia. Agora ele me desrespeitar e transar com a ela na MINHA presença? Isso foi um absurdo para mim. Eu respeito a privacidade de todo mundo, para que assim, respeitassem a minha também, mas ele não fez isso. Comentei com a minha mãe sobre a minha noite desagradável, e a mesma, depois da garota ter ido embora, foi tirar satisfação com o meu irmão. E então, chegou o cenário que eu explodi.
Meu irmão começou negando ter acontecido algo, mas como eu afirmei o que tinha ouvido, o mesmo começou a entrar na ofensiva, dizendo diversas coisas que afetaria a minha mãe, mas o que foi a razão de tudo, foi ele colocar o "abandono da minha mãe" nessa situação. Isso me tirou do sério total, e em um ato incontrolável, acabei mandando ele ir embora de casa. A discussão que era apenas dele e da minha mãe, agora era minha e do meu irmão, o mesmo apontou que eu não era a dona daquela casa para mandar ele ir embora e minha mãe e meu pai tentou me impedir, mas eu estava totalmente alterada, cansada dele sempre ter que culpar a minha mãe por tudo. Então com raiva, disse bem claro para John que se ele não fosse embora por conta própria, eu o colocaria para fora, ele não acreditou de imediato, mas eu fiz o que eu disse.
Entrei no quarto dele e comecei a pegar todos os seus pertences e roupas, colocando os próprios na rua. Isso foi chamando a atenção dos vizinhos, mas não me importei, continuei colocando tudo dele na rua, enquanto gritava para que o mesmo fosse embora. Nessa situação toda, acabei desabafando também, comentando tudo o que eu achava dessa atitude infantil dele de sempre ter que colocar o passado em situações que não tem nada haver, falei que não aguentava mais esses ressentimentos e que se fosse para ele continuar no passado, que ele não voltasse ali. E assim, acabei cortando todos os tipos de laços que tenho com o mesmo e expulsei da casa da minha mãe.
Então turminha, sou babaca por tê-lo expulsado?
submitted by tiarinhabaixa to TurmaFeira [link] [comments]


2020.07.16 01:08 ApenasEuzinha Por que isso doí tanto?

Olá pessoal, é a minha primeira postagem aqui, eu meio que só fiz uma conta no reddit para desabafar sobre isso.
E lá vem a história, eu sou um fracasso quando o assunto é interação social, eu tenho dificuldades em fazer amigos e de falar com as pessoas, porque eu sou bem tímida e bate uma ansiedade quando eu vou falar com alguém que eu não conheço.
Mas eu tenho alguns amigos e sou feliz com isso, mas a história em questão é sobre o primeiro relacionamento romântico que eu tive, eu conheci o meu primeiro namorado no final do ano passado, ele demonstrou ser uma pessoa muito gentil e amorosa comigo, ele cuidava bastante de mim. Por mais que a gente tivesse bastante gostos em comum, nossas personalidades são bastante diferentes, ele é mais extrovertido e não para quieto, adora sair por aí. Já eu sou mais introvertida, gosto de ficar mais na minha.
Mas por mais que tivéssemos essas diferenças, eu não achava ruim, eu o deixava sair por aí, eu não ficava brava por conta disso, pois eu confiava bastante nele. Além que eu adorava ele por ter tanta facilidade de falar, adorava quando ele me contava das historias da saideira dele, gostava quando ele falava de jogos e de filmes que ele gostava... ok ok eu gostava muito dele.
O tempo foi passando e as coisas entre nos foi ficando ruins, porque eu tinha esse problema de interação, então por mais que eu quisesse ficar falando com ele horas e horas, eu não conseguia, eu ficava insegura de falar algumas coisas, eu tinha medo de ficar incomodando ele ou algo do tipo, além que eu e ele somos pessoas muito sensíveis, então eu tinha um grande bloqueio quando era para me expressar por medo. Ele tinha alguns problemas do passado dele, de outro relacionamento (não dizer para vocês já que é um assunto dele), esse assunto se tornou algo que me deixou muito insegura ao decorrer do nosso relacionamento.
No inicio desse ano, ele se machucou e teve que fazer uma cirurgia, e eu fiquei me sentindo uma inútil por não poder ir ajudar ele, por não poder visitar ele, porque eu ainda não tinha ido na casa dele e nem conhecido os seus pais, fiquei com vergonha de ir lá, mas eu sempre conversava com ele, perguntava como ele estava. Resumindo foi bem difícil ficar tanto tempo sem ver ele, eu estava bem triste, mas para não preocupar ele, eu não falava isso para ele.
Com o tempo ele começou a achar que eu estava um pouco fria com ele, mas não era intencional, eu dava algumas respostas meio diretas, mas não porque eu não queria falar com ele ou algo do tipo, era porque eu não sabia me expressar muito bem e também por estar triste por não poder ver ele.
Daí no inicio de abril ele terminou comigo, meio que me culpando, por eu ser uma pessoa fria, passou alguns dias e eu descobri que ele tinha voltado com a ex dele. E isso doeu muito, por mais que ele tivesse terminado comigo, eu ainda queria ser a sua amiga e saber como ele estava (porque ele ainda estava se recuperando da cirurgia), mas quando eu descobri que ele estava com outra eu resolvi cortar ele da minha vida. Então eu desejei para ele todas as felicidades do mundo e parei de falar com ele. Eu passei muito mal no primeiro mês, mas depois de um tempo eu fui me acostumando.
Eu passei a acreditar que ele era um mentiroso que nunca me amou, e ainda acredito nisso, passou alguns meses e ele me mandou uma mensagem dizendo que ainda me amava, e eu fiquei muito magoada, porque ele ainda esta namorando com a outra e me manda uma mensagem dessas, além que eu não acreditei... mas eu respondi ele, não por causa da mensagem, mas porque eu queria saber como ele estava, se já tinha se recuperado da cirurgia.
Agora aqui estou eu me sentindo idiota, e espantada por achar que o meu coração partido já tinha se recuperado, mas parece que ainda vai demorar um bom tempo para ele ficar melhor.
submitted by ApenasEuzinha to desabafos [link] [comments]


2020.06.14 06:39 gio1vanna FUI BABACA COM MINHA AMIGA POR QUERER ALGO DIFERENTE DO QUE ELA?

Olá Luba, editores e todos que estão a ver. Começando minha história eu e mais 3 amigos sendo uma das pessoas minha amiga que conheço desde meus 7 anos de idade, o namorado dela e o amigo do namorado dela que tem a mesma relação de amizade q eu e ela temos, todos nós moramos no mesmo bairro, nisso fizemos um grupo onde sempre conversamos e marcamos de sair ou fazer alguma coisa juntos, desta vez não foi diferente eu mandei um vídeo de umas receitas diferentes de pizza e comentei da gente fazer um dia qualquer, todos toparam acharam legal e tudo mais, aí passou uns 2 dias o namorado da minha amiga perguntou se queríamos fazer fazer o negócio da pizza o amigo dele mandou um cupom de desconto que tava tendo de uma pizzaria onde ele achou barato tbm e aí todo mundo topou, falei que poderíamos fazer em casa e perguntei como eles iam fazer se iam comprar ou se íamos fazer... Minha amiga falou que achava mais fácil comprar, mas eu não achei tbm porque eu queria fazer algo diferente de todo mundo se reunir fazer algo junto e comer a vontade sem se preocupar com quantas pizzas comprar e se ia ficar muito caro ou não, tbm pq meus pais estavam em casa e minha irmã casula que ama comer tudo kk, então eu falei meu ponto pra ela, ela me chamou no privado e disse q ia sobrar tudo pra gente e que os meninos não iam fazer nada, obviamente deu pra entender que ela não queria passar por todo aquele processo de preparar e tudo mais, nisso eu falei que não tinha problema e que eu fazia sozinha porque eu gosto de cozinhar e era só pra ter aquele momento agradável de fazer alguma coisa e jogar conversa fora que n precisava se preocupar ela entendeu e disse que tudo bem e os meninos pra eles poderia ser qualquer um dos dois então nessa decisão pedi pro meu pai acender o forno a lenha e comecei a preparar as coisas, passou alguns minutos ela mandou mensagem no grupo falando que era melhor comprar a pizza e tudo mais pq ficaria mais em conta e eu fiquei sem entender ainda mais porque já tava arrumando tudo as coisas, nisso eu falei que não achava que ficaria porque meus pais iam comer e aí teríamos que pedir mais pizza que era mais fácil comprar os recheios que eu tinha o resto em casa pra fazer e todo mundo fica tranquilo, ela simplesmente disse que se meus pais quisessem eles pagassem a parte deles a parte, a resposta me ofendeu um pouco ainda mais por eles estarem oferecendo a casa pros meus amigos e tudo mais, mas eu só respondi que eles estariam pagando a parte deles com a minha parte porque eles que me dariam o dinheiro, depois disso eu perguntei o q achavam melhor comprar ou fazer e ninguém me respondeu, mandei mensagem no privado para ela e ela disse que não tinha o que responder e que eu quero as coisas tudo no meu jeito e que era pra ser algo legal e agora não está sendo mais, disse que desanimou e que não ia, obviamente o namorado dela tbm não foi, desliguei o forno a lenha e juntei todas coisas, depois o amigo do namorado da minha amiga veio pra me fazer companhia comemos qualquer coisa e conversamos. Ela está certa fui controladora de querer as coisas do meu jeito e estou sendo babaca por isso??
submitted by gio1vanna to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 22:13 NordestinoSemSotaque Término de Relacionamento, Traição e início de uma nova história.

Término de Relacionamento, Traição e início de uma nova história.
Olá Luba, Gatas, editores, papelões, possível convidado e turma que está a ver.
Há alguns anos atrás eu estava namorando uma pessoa, eu tinha 19 anos na época e considerava um bom relacionamento apesar dos ciúmes excessivos dela (Carls) em alguns momentos, porém aquele era o meu primeiro relacionamento então meio que eu não tinha base pra saber o que era uma relação saudável.
Porém ao longo do tempo começamos a ter mais divergências no relacionamento além dos ciúmes, uma das reclamações da Carls é que ela queria sair pra outros lugares e tals e eu tenho um perfil mais caseiro, até aí tudo bem, o relacionamento estava se desgastando, porém isso é normal quando as pessoas não têm os mesmos gostos. Tempos depois nós terminamos, porém com sentimento muito ruim, nós dois choramos abraçados tentando consolar um ao outro pela história que estava chegando ao fim e nesse fim de semana eu decidi que iriamos fazer tudo que tínhamos vontade (sair pra algum lugar, ir num cinema e etc...). Esse pra mim foi um término muito ruim, chorei muito por achar que eu tinha perdido uma pessoa incrível. Depois disso nós tínhamos umas recaídas as vezes e um dia ou outro saíamos juntos de novo. Porém, alguns meses depois nesse vai e vem uma mulher desconhecida(Fars) veio me contar que a "minha namorada" tinha me traído com o marido dela.
Nota de contexto: Esse cara já tinha namorado sério a um tempo atrás com a Carls e tinha traído ela com a Fars, a que me mandou mensagem (Ou seja o cara colocou chifre nas duas uma com a outra) detalhe quando essa mulher descobriu, ela estava grávida de 8 meses do cara...
https://preview.redd.it/z7t73ckkdc351.jpg?width=494&format=pjpg&auto=webp&s=f0b18e9cf8e0158e746d7bcbab94d527b4ad4379
Eu já tinha recebido essas mensagens fazia algum tempo, mas especificamente numa manhã de domingo eu fui ver do que se tratava, após ver essas mensagens o meu sofrimento acabou, não consegui derramar uma lágrima a mais pelo fim do relacionamento, porém, meu coração estava preenchido de ódio, não consegui nem tomar café da manhã de tanto nojo que eu sentia.
https://preview.redd.it/cvhlv1jkdc351.jpg?width=624&format=pjpg&auto=webp&s=3bfd6414b9f0ac1aa504e15d583f8f28cb735750
https://preview.redd.it/6u6y5ajkdc351.jpg?width=628&format=pjpg&auto=webp&s=ab38b59509c60bdbc3b25718d140ae05a2470135
https://preview.redd.it/wts1adjkdc351.jpg?width=628&format=pjpg&auto=webp&s=57f7661b1f190a1bb9248e5ba631d66cb79e5754
https://preview.redd.it/z6x4hmkkdc351.jpg?width=629&format=pjpg&auto=webp&s=7c74a6c0c5d94f4c51e6f0b4586699a970354944
https://preview.redd.it/fonfgejkdc351.jpg?width=630&format=pjpg&auto=webp&s=79daf03b26d359ca1cff496fcbd16be96af4a05f
Depois de falar com a Fars fui imediatamente mandar mensagem para a Carls e pedir pra conversar pessoalmente dando a entender que eu queria conversar sobre o nosso termino de namoro, e lá na casa dela eu me tranquei no quarto com ela e começamos a conversar, o detalhe é que até então eu não acreditava em tudo aquilo, fui na casa dela justamente para tirar dela uma confissão e assim aconteceu mostrei o que a mulher tinha me falado e a questionei sobre a suposta traição, uma das coisas que ela tinha me dito é que tinha se arrependido do que fez, que tinha bloqueado o cara e que fez isso porque eu não dava atenção o suficiente pra ela (mesmo assim acho que nada disso justifica uma traição, acho que é uma coisa pra se conversar e terminar caso você queira ficar com outra pessoa), acredito que ela realmente falou a verdade pois quando nós terminamos choramos juntos, porém por motivos diferentes, ela pela merda que fez e eu por achar que eu tinha deixado um bom relacionamento se desgastar.
Tudo isso aconteceu em baixo tom de voz pq por mais que eu estivesse com raiva não queria fazer mal pra ela e nem que os pais dela soubessem disso. Enfim, conversei com ela falando como ela deveria ter agido, abracei ela (que estava chorando) dizendo que estava tudo bem e que só tinha ido pra lá descarregar o peso que eu tinha no peito, me despedi dos pais dela e fui embora.
Depois, Mandei algumas mensagens para a Fars...
https://preview.redd.it/nc71ehjkdc351.jpg?width=628&format=pjpg&auto=webp&s=549e065ff35fd709030f1673297613534f8e0f02
https://preview.redd.it/w1g5exkkdc351.jpg?width=625&format=pjpg&auto=webp&s=da360995ce926a9084a5b2b827593a8723ef05be
https://preview.redd.it/q4kb1mjkdc351.jpg?width=628&format=pjpg&auto=webp&s=87b31d2d4229857f5893e40e10d8d2bb50038fcf
https://preview.redd.it/a7v63fjkdc351.jpg?width=628&format=pjpg&auto=webp&s=f9f3cb18c75202bd786f291fd64b10e9dd02921f
https://preview.redd.it/8wlwsnjkdc351.jpg?width=626&format=pjpg&auto=webp&s=b184a59a682c76e5d7a60e30387dc52e16d484d1
https://preview.redd.it/skoegrjkdc351.jpg?width=622&format=pjpg&auto=webp&s=f46b8329df38015a75a49e13597feb8e24315ecf
https://preview.redd.it/7d2g6jjkdc351.jpg?width=626&format=pjpg&auto=webp&s=aceef9e35e725d87f965b0a30234dd822e077ab0
https://preview.redd.it/q232jmjkdc351.jpg?width=627&format=pjpg&auto=webp&s=e5b3c11c6e861a9864a805cff562eec52a5e7bba
https://preview.redd.it/ivgfipjkdc351.jpg?width=621&format=pjpg&auto=webp&s=400d27828c7e0ffe22e4e4e33b2bc2e511e49b31
https://preview.redd.it/2ajx1djkdc351.jpg?width=623&format=pjpg&auto=webp&s=66d4ca181d1ef58fa82ee96e3ff990ed335db190
https://preview.redd.it/jxdy2djkdc351.jpg?width=627&format=pjpg&auto=webp&s=fb619fcbd5125b11f627fc1ed79cdf87c1c62fa8
https://preview.redd.it/hh7honkkdc351.jpg?width=624&format=pjpg&auto=webp&s=84466677e6795762ddf05b9969a0acc2b180736d
Nesse dia eu tinha ficado mais tranquilo, porém, eu estava tão dependente psicologicamente dela que mesmo procurando outro relacionamento, depois disso tudo ainda passamos noites juntos. O tempo passa e eu conheço alguém, uma menina incrível, que compartilha dos mesmos gostos, carinhosa, faz de tudo pra estar comigo, além de ser muito linda, enfim, me completa, ela é pra mim tudo que eu me esforço para ser pra ela.
Porém eu ainda estava com um certo ressentimento na minha mente, como se eu tivesse sido o otário na história, sofri por uma pessoa e no fim descobri que ela me enganou e ainda perdoei ela no fim. Depois que eu comecei a conversar com outra pessoa e a minha dependência com a minha ex acabou, finalmente eu tinha alguém pra conversar falar sobre o meu dia, contar as coisas que afligem meu coração e as que me dão felicidade. Então, eu comecei a conversar com a Carls dizendo que queria voltar, que perdoava ela etc... Iai, fui pra o primeiro encontro de verdade com a menina que eu já vinha conversando a um tempo, e aquele dia só reforçou que eu queria passar o resto da minha vida com aquela pessoa, e a Carls era tão paranóica (e eu sabia que isso ia acontecer) que ela percebeu que eu fiquei uma tarde sem falar com ela, ela ligou pra mim no meio do encontro e eu desliguei o celular. Quando eu voltei pra casa depois do encontro completamente satisfeito com a pessoa que eu tinha acabado de conhecer, liguei o celular, e lá estavam, um monte de mensagens que ela tinha mandado, me xingando e perguntando onde eu tava, e eu falei a verdade, que eu estava num encontro com uma pessoa e ela então falou que não queria mais me ver nem pintado de ouro.
Acabou que ela ainda tentou por mais uma semana voltar pra mim, mas não dava, mesmo antes com a dependência de uma pessoa no meu lado, depois da traição eu não encarava mais ela como um possível final feliz, só conseguia ver ela como um período de transição para algo bom.
Passaram-se alguns meses, e depois disso tudo, a Carls e a mãe dela (a quem eu tenho um carinho imenso, ainda mais depois que ela me disse que eu sou pra ela um filho que ela nunca teve e essas palavras ficaram gravadas no meu coração) me deram feliz aniversário, aproveitei para pedir desculpas a minha ex pela minha última atitude errada de fingir que queria voltar com ela, ela me desculpou e hoje em dia está tudo bem.
https://preview.redd.it/g350z0kkdc351.jpg?width=686&format=pjpg&auto=webp&s=9e762062ac14f1157cc3c608dfae888979826a31
https://preview.redd.it/tngbdvjkdc351.jpg?width=666&format=pjpg&auto=webp&s=52348779300e0a50e059c9cb859087adb4fe6f72
Notas pessoais finais: 1. Esse erro que cometi com raiva dentro de mim, é um dos erros que foram essenciais pra eu me tornar quem eu sou hoje, provavelmente se eu não tivesse feito aquilo ainda carregaria comigo aquele sentimento de "o otário da história", coisa que eu não conseguiria proseguir sentindo isso...
  1. Tudo isso terminou com um final feliz. Eu e a menina que eu comecei a conversar depois do meu término estamos namorando, atualmente com um ano e meio de namoro. Ela é pra mim tudo que eu me esforço para ser pra ela, vive dizendo que eu sou a melhor coisa que já aconteceu na vida dela (Também não teve experiencias amorosas muito boas) e a recíproca também é verdadeira.
    A quarentena tá sendo difícil longe dela mas nos falamos todos os dias por ligação.
Essa é a minha história espero que tenham gostado. < 30!!!
submitted by NordestinoSemSotaque to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.31 22:34 VilaLactea Me apaixonei por um grande amigo durante a quarentena e ele quebrou meu coração

Quanto tudo isso começou eu fiquei muito fragilizada, eu refleti muito e decidi me aproximar das pessoas que realmente importam, que trazem algo de bom na minha vida. Eu sou muito amiga do meu ex ex namorado e ele vai se mudar lá pra casa em um mês para dividir o aluguel. Então durante o confinamento eu via apenas meu ex ex e meu amigo (vamos chama-lo de João) para não ficar louca ou depressiva.
Os encontros com João nos aproximou... eu estava feliz de estar solteira mas eu sempre soube que ele era um puta cara e eu sempre sonhei em me casar um dia com um cara como ele; mas não achava que ele se interessaria por mim. Na minha cabeça tava assim: se tem uma pessoa na qual eu daria uma chance nesse momento essa pessoa é o João. Mas não vou tentar nada. Mas se ele se interessar eu tô dentro.
Semana passada a gente se encontrou num parque perto da casa dele, aí ele me chamou para a casa dele. Eu não dei mole mas também não mostrei alguma resistência. Eu confio nele e sabia que ele não se aproveitaria de mim e deixei rolar... Me entreguei sem pensar no amanhã. Eu estava muito feliz de algo estar acontecendo entre nós.
O resultado foi quatro dias sem se separar. A gente não conseguia se largar, estávamos felizes e até fizemos planos para o futuro.
Ele me trouxe pra casa e fomos andar no parque perto da minha casa onde encontramos meu ex ex. Foi tudo meio estranho já que eles também se conhecem faz tempo (TODOS meus amigos aqui no Canadá são amigos em comum com meu ex ex e o Joao). Meu ex ex reagiu muito mal à situação.
Eu vi nos olhos do João medo de me perder, muito afeto e isso amoleceu meu coração e essa noite foi super romântica, e eu não consegui segurar meus sentimentos. Ele teve que ir embora no dia seguinte perturbado pois o ex ex veio lá em casa agindo como se fosse meu dono.
Passou -se dois dias. Eu não parava de pensar no João, tipo demais mesmo. Fazem 20 anos que eu não sentia algo tão forte. Meu ex ex caiu na real, eu conversei com uma amiga do grupo, o João com outro amigo do grupo e ele me ligou e ficou feliz de que as coisas estavam claras entre eu e meu ex ex e então ele me chamou pra ir à casa dele na noite seguinte.
Outra vez tudo muito massa. Eu tava de boa e confiante. No dia seguinte a gente transou, demos uma volta e eu comecei a sentir que ele tava estranho.
Voltando pra casa dele ele disse que tinha um Zoom com seu pai em 15 minutos e se ofereceu pra me levar ao metrô. Ele disse obrigada e eu fui embora odiando pegar o metrô durante a pandemia.
Hoje fazem quatro dias que eu não tenho notícias dele. Nossos amigos querem saber como estão as coisas entre nós, meu ex ex me diz que aceita nosso namoro e que ele reagiu mal por saber o quanto eu e ele somos perfeitos um para o outro. Mas eu tô sem coragem de falar com eles pois eu sinto que assim que ele gozou ele se encheu de mim. Vergonha de ter deixado ele se aliviar em mim como uma boneca inflável, enquanto eu achava que estávamos começando um conto de fadas.
Ps: eu normalmente nao me apaixono fácil. Eu entendo que me iludi sozinha e estou desapontada comigo mesma. Sou amiga do João fazem uns 8 anos, conheço a família dele e eu sou a pessoa que ele ligava quando passava por crises.
Homens e mulheres oq vcs têm a me dizer? Me ajudem a arrancar esse sentimento de mim.
submitted by VilaLactea to desabafos [link] [comments]


2020.03.05 02:37 nandross Estou feliz

Sla cara, eu sempre tive muitos problemas de autoestima e sempre fui muito introvertido, por conta disso nunca fui de fazer muitos amigos e os amigos que eu tenho, eu tenho porque conheço eles desde sempre. E a minha vida sempre foi meio parada e sem graça, tmb sempre me sentia meio sozinho, isso durou até o início do ano passado, quando nos meus 16 anos fui apresentado à amiga de uma amiga minha, quer dizer, não se se "apresentado" seria a palavra certa. Minha amiga me passou o número dessa garota e avisou que ela morava na minha cidade mas tinha se mudado. Eu não tinha nada melhor pra fazer e resolvi mandar mensagem, ela parecia interessante então a gente continuou conversando. Detalhe: nesse tempo ela morava a uns 200km da minha cidade. Mas a gente continuou conversando. Nas férias de julho ela veio visitar a vó dela que mora aqui na cidade e a gente finalmente se conheceu, e cara, meu deus, eu tava muito feliz. Passado algum tempo nós já nos consideravávamos namorados, então eu fui passar alguns dias na casa dela. Depois disso nós só nos vimos mais uma vez, quando ela novamente veio pra cá. A gente gostava muito um do outro e nenhum de nós dois estava aguentando mais esse relacionamento à distância. Então ela conversou com os pais dela e com a vó dela aqui da cidade e veio pra cá no Natal, dessa vez veio pra ficar. Eu sabia oq precisava fazer, então juntei dinheiro e comprei um par de alianças de compromisso, e na virada do ano eu pedi aquela garota em namoro, (dessa vez oficial, mesmo a gente já se considerando namorados). E cara, meu deus, a gente passou o mês de janeiro inteiro juntos e fevereiro também, e eu estou muito feliz. Parece que a minha vida ganhou um up diferente, um gás novo. Eu amo demais aquela garota e eu sei que é recíproco, ela largou tudo por mim e eu largaria tudo por ela. Posso me sentir a pessoa mais especial do mundo e muito disso eu devo à ela. Sla, só queria escrever isso e esboçar o que eu estou sentindo. Nunca fui muito alfa com as garotas e sempre tive na minha cabeça que eu saberia quando a hora chegasse, e essa hora chegou. É isto guys, tenham paciência, a hora de vcs ainda vai chegar, e quando chegar, por favor, não desistam, por mais que seja difícil, por mais que tenham empecilhos como a distância e a saudade, não desistam, pois no final sempre vale à pena. Pra mim está valendo muito
submitted by nandross to desabafos [link] [comments]


2020.02.15 05:19 NoobiestGirl Não me sinto confortável na minha relação.

Isto tudo pode parecer um pouco egoísta da minha parte mas eu estou pensando em terminar com o meu namorado porque ele não trabalha.
O meu namorado tem 20 anos, é a pessoa mais carinhosa que conheço, ele cuida bastante de mim, é um amor, está sempre comigo quando preciso... Ele é bastante perfeito. Mas há algo que me incomoda que é realmente pesado para mim.
A família dele tem bastante dinheiro então ele vive sem preocupações. Ele não estuda nem sequer pensa em trabalhar e está vivendo à custa do dinheiro dos pais e isso me incomoda profundamente. Sempre que ele me dá algo vem dinheiro dos pais, sempre que saímos vem do dinheiro dos pais. Até o seu próprio carro e combustível (que não são baratos) vem dos pais. Eu compreendo, muita gente nessa idade não trabalha mas ao menos esse tipo de pessoas ainda estudam ou tentam encontrar trabalho, eles se esforçam sabe? E o meu namorado não, vive dependendo da riqueza da família e isso começa a mexer comigo.
Esses dias conheci um garoto de 19 anos que é a pessoa mais esforçada que já vi. Ele nunca teve muitas possibilidades então trabalha para tudo o que quer. Realizou o seu sonho de ter uma mota e um carro e consegue gerir os seus ganhos e sair com amigos etc... E isso meio que me atraiu. Claro que não vou trair o meu namorado e eu não tenho qualquer tipo de sentimento por esse garoto mas houve uma pequena atração pelo seu esforço e dedicação.
Estarei sendo egoísta e errada?
submitted by NoobiestGirl to desabafos [link] [comments]


2020.01.29 15:54 AstroSabino Não faço questão de estar com ninguém

Então, vim aqui fazer esse post pois desde que me conheço por gente, tenho uma característica que pra mim é ótima, mas sempre me faz sofrer por falta de compreensão das pessoas:
EU NÃO FAÇO QUESTÃO DA PRESENÇA FÍSICA DE NINGUÉM NA MINHA VIDA!
Isso significa que eu nunca sinto necessidade de ir visitar ou encontrar ninguém. Isso vale pra amigos, pros meus "romances" e familia.
Pra mim, basta manter contato virtualmente e eu já me sinto satisfeita, mas pra eles não! Então constantemente as pessoas cobram a minha presença nos eventos familiares, dizem que eu não ligo pra ninguém, que sou uma má filha, neta, etc... E eu não suporto mais a pressão de ser presente na vida das pessoas, isso me esgota totalmente.
-Fui taxada de odiar os meus avós simplesmente pq passei 10 anos sem ir a casa deles;
-Meu pai me acha uma péssima filha pq nunca fui visita-lo;
-Meu primeiro namorado brigava comigo pq a gente se encontrava só uma vez por mês, sendo que pro meu universo aquela frequência era descomunal!
-Eu encontro cada um dos meus amigos 1x no ano, eles acham pouco e vivem me cobrando presença.
Detalhe: Eu estou todo dia nas redes sociais e converso com todos eles. Pq será que é tão difícil me aceitar como eu sou???
Atualmente eu vivo em outro estado, passei 6 meses longe de todos e agr em Janeiro voltei pra passar as férias aqui. Em quase 1 mês, só consegui sair de casa 3x, pq é extremamente exaustivo estar fisicamente com pessoas. Ainda não vi meus avós, nem metade dos meus amigos. Visitei a família da minha mãe numa festa que rolou aqui, minha melhor amiga, e fui na Universidade em que me graduei rever meu antigo orientador e ex-colegas. Só.
Sabe, eu não suporto mais essa pressão... Eu não sei como satisfaze-los. Eu os amo, mas não preciso estar perto fisicamente, e na real, nem quero. Estou pensando em voltar pro estado onde vivo, e não voltar nunca mais.
Pra quem quiser me visitar, deixarei minhas portas abertas, mas não quero me submeter a esse sofrimento psicológico ainda mais.
Só quero distância e paz.
submitted by AstroSabino to desabafos [link] [comments]


2020.01.10 19:16 apisbrasiliensis Acho que meu relacionamento está acabando por causa do apego/cuidado excessivo/inconveniência dos meus sogros.

Eu e meu namorado estamos juntos há 10 anos, sendo 2 desses anos, de noivado.
Ele é filho único. Meus sogros tiveram até que fazer tratamentos e fertilizações (durante 15 anos+-) para conseguirem ter o tão sonhado filho...Só com isso, já dá pra ter um “feeling” de como o moço é precioso pra família, né?!
Fará também 2 anos que moramos juntos. Decidimos “juntar os trapos” quando eu terminei a faculdade e porque meu noivo precisou se mudar para outra cidade (bem longe da nossa cidade natal) a trabalho.
Antes de morarmos definitivamente juntos, o belo moço já teve que se mudar para trabalhar. Meus sogros,como são aposentados, quiseram residir com ele, para não deixá-lo "sozinho". No início, não vi nada de errado nisso, mesmo por que, sou meio ciumenta e desconfiada (por já ter sido traída uma vez, mas perdoei e seguimos em frente). Então era bom ter alguém cuidando dele pra mim, kkkkk.
Pra começar, quando achamos um apartamento para morar, bem no dia da mudança, minha sogra fez uma choradeira. Sendo que iríamos residir a somente 400m da casa dos meus sogros.
Inicialmente pensei que seria mais de boa. Até achei que meus sogros voltariam a morar na cidade de origem deles, e deixariam eu e meu "namorido" vivermos a nossa vida a dois.
Me equivoquei feio! Meus sogros não querem apenas residir na mesma cidade que a gente. Querem dar pitaco em tudo; levam e buscam meu noivo no trabalho todos os dias, sem falta; toda quarta-feira vão almoçar com o filho; todo final de semana tem que ir almoçar ou jantar com eles ou fazer algum programa “em família”.
Meus sogros também me SUFOCAM! Tenho que dar satisfação de tudo o que faço: se vou trabalhar hoje, o que rolou no trampo, se tô saindo de casa, tem que falar onde vou… Se eles não me veem presencialmente, tenho que dar um sinal de vida pelo grupo da família no WhatsApp...Enfim, são vários inconvenientes que ocorrem aqui. Porém, meu noivo não enxerga o mal que os pais dele estão me causando e também causando ao nosso relacionamento. Hoje, percebo que meu noivo foi criado com muita dependência emocional dos pais.
Vou citar alguns exemplos dos rolos que aconteceram e gostaria de uma opinião de vocês, pois às vezes acho que eu posso ser implicante ou reclamona demais:
Tem muito mais coisa que eu queria contar, como não dá pra chorar a vida aqui, e pra terminar com chave de m**. Em fevereiro de 2019, eu e meu noivo, estávamos planejando uma viagem para comemorar nosso 1º ano de noivado. Pensamos em algo simples, uma cidade praiana bonita...Meus sogros fizeram a cabeça do filhão e foram junto pra atrapalhar nossa “trip” romântica e comemorativa. Felizmente, ficamos em quartos separados. No entanto, em todos os passeios, os coroas estavam lá pra “tomar conta, né”. PQP!
Graças a Deus, nunca me desentendi com meus sogros, tenho tentado ser paciente. Também não gostaria de me desentender com eles, seria muito ruim e doloroso. Mas, já tive que discutir sobre várias coisas com quem eu queria que fosse meu futuro marido... Já falei como eu me sinto mal com toda a situação. Já fui até parar no hospital com crise de ansiedade/nervosismo, por não saber o que fazer. Tô fazendo terapia e tudo o que dá...O relacionamento está cada vez mais desgastado, e a culpa é minha, que “não sei conviver” com a família dele.
Por favor! Conseguem me dar uma ajudinha? Opiniões? Eu quero salvar meu noivado! xD
submitted by apisbrasiliensis to desabafos [link] [comments]


2019.12.19 03:30 dishonoredbr Eu não aguento mais...

Sério, eu realmente desgosto dos meu proprios pais porém não consigo falar na cara deles porque eles provavelmente se matariam. Eles claramente me amam mas não consigo passar o mesmo sentimentos para eles. Não
Backstory rápida: Meu pai e minha mãe ficaram juntos por 22 anos , meu pai sempre bateu nelas e nunca fui tão bom quanto minha mãe queria q ele fosse. Ela traiu meu pai e meu pai traiu ela , meu pai começou a usar drogas pesadas junto da mulher que ele pegava e minha mãe foi em loucura da culpa aonde ela fez perdeu dinheiro pra esquema e bateu o carro do meu pai. Até perdeu o anel que meu pai deu pra ela.. Meu pai bateu muito nela quando ela contou.. Um dia ela bateu com uma gaveta nele , abriu um buraco na cabeça dele , eu precisei ajudar.. Passei boas e poucas com eles. Sempre tentei parar os dois mas nunca consegui.
Eu realmente peguei desgosto dos dois mas eles gostam de mim e se importo comigo, então eu não consigo falar para eles que não gosto deles. Então evito falar com os dois além dos necessários. Fico com minha mãe e trabalho com meu pai em uma empresa que ele fez para mim tomar cuidar quando eu tivesse capacida, já que eles não querem que sai de perto deles ainda , já que eu só tenho 21 anos ( quando eles se separaram eu tinha 18) e eles odeiam ou não confiam em ninguém na família deles pra ficar comigo ou me ajuda, já que os resto da famílias são tão fudidas quanto eles..
Eu realmente não sei o que fazer. Eu odeio ficar pertos dos dois já que meu pai é usuário de drogas fudido ( já até me bateu uma vez, e só não revidei pq era meu pai) e minha mãe até hoje não consegue esquecer meu pai , e frequenmente me pergunta dele e de quem ele fica , eu ODEIO falar isso com ela mas ela não para de perguntar. Claramente não é bom pra ela...
Eu odeio essa situação mas não tenho auto estima nenhuma, vontade nenhuma de melhorar, fazer faculdade nem nada.. Só quero paz... E nem tenho pra aonde escapar pq minha família é inexistente, não tenho amigo próximos além de 2 colegas de trabalhos e meu primo que é maconheiro e quer ir pra Portugal. Não namoro , não tem a menor chance já que eu bao tenho carro , todo meu tempo tô trampando com meu pai então não tem namorada nem namorado pra ir.. mal consigo falar com pessoas que não conheço por mais de um 1 mês no mínimo.
Eu atualmente só quero ficar só com meus jogos e vídeos, isolamento é minha única válvula de escape... Eu odeio essa merda de vida mas não tenho coragem de me matar... Eu só quero paz e ficar sozinho. Odeio essa merda. Acabei de brigar com minha mãe odeio esse lixo de vida.. tbm não gosto de mim , mas não tenho interesse em mudar. Eu realmente só quero ficar sozinho msm com emprego merda comigo mesmo, não aguento mais.. Ficar sozinho tracando no meu quarto é melhor parte do meus dias.
Desculpa por isso. Eu simplesmente não aguento mais e precisava escrever..
submitted by dishonoredbr to desabafos [link] [comments]


2019.11.17 19:09 MaraCoastline Vítima de assédio

O machismo faz com que nós duvidemos de nós mesmas. "Eu estou vendo coisa onde não tem?" "Não, impossível! Isso não está acontecendo comigo." "Não, isso é normal, é normal, é normal..."
No início de Julho desse ano (2019), fui vítima de assédio e eu simplesmente não soube como reagir. Até hoje isso me dói, principalmente porque uma série de ditos motivos sociais não me permitem denunciar, me sinto impotente. Eu sou uma vítima que será julgada se abrir a boca.
Nesse dia, eu estava trabalhando sozinha na loja, porque minha chefe (A.E.) tinha viajado para trazer novidades para a loja.
Eram quase 10:00 da manhã quando um cara (R), entra na loja para pagar um óculos que comprou. Pagou o óculos e me pediu para ver os shorts masculinos. Eu simpaticamente peguei todos que poderiam lhe servir, entreguei e lhe indiquei o provador, ele entrou no provador e logo em seguida entraram duas mulheres na loja, eu fui lhes atender. Foi então que eu senti que algo estranho estava acontecendo, enquanto eu atendia essas mulheres, não percebi nenhum movimento do R., ele não saía do provador, não pedia mais bermudas e nem sequer abriu a boca, foi como se ele não estivesse lá. Cheguei a pensar que ele queria minha opinião, mas tinha vergonha demais para sair e outras pessoas também o verem e opinarem...não sei, ele tinha cara de envergonhado e juro, eu pensava que ele não era muito normal, mesmo sabendo quem ele era, já que é casado com a A., que eu conheço há muito tempo (o pai dela ia com frequência ao bar do meu pai para conversar)...Acredito que nenhuma das mulheres que atendi tenham percebido que ele estava lá na loja, no provador. Quando essas mulheres saíram, eu então perguntei "R. deu certo alguma bermuda?" Foi onde meu mundo inteiro perdeu o sentido...Ele me disse que não conseguia abrir o cinto de uma bermuda para experimentar e ai abriu a cabine, ele estava nu, sem as roupas íntimas. Meu coração acelerou e meu cérebro deu bug. Eu só pensava "Ele não é normal, aja naturalmente...meu Deus, será que ele age assim sempre? Será que já fez isso antes?" Peguei a bermuda rapidamente, virei de costas e ele fechou a cabine do provador, quando abri o cinto joguei por cima da cabine para ele. Imediatamente mandei mensagem para minha amiga que trabalhou na loja antes de mim: "I., tu já atendeu o R. esposo da A. alguma vez na loja?" Ela me respondeu que não, só quem atendia era a minha chefe. Então, eu respirei e mesmo sabendo que era o pensamento mais louco do mundo quis acreditar que só minha chefe atendia porque ele realmente não era normal.
Então ele saiu da cabine com as bermudas e me disse que queria ver outras, eu tentei manter o sorriso e peguei mais bermudas e lhe entreguei. Então ele foi experimentar e daí disse "Essa aqui está apertada, nem está subindo direito" e mais uma vez abriu a cabine e disse "você pode me ajudar a tirar? não estou conseguindo" e ele estava com a bermuda no meio das pernas, sem roupas íntimas. Puxei a cortina entre ele e eu para manter distância, puxei a bermuda para soltar de onde estava presa e saí o mais rápido possível, com ânsia de vômito. Eu definitivamente estava perdida, sem saber como reagir. Nesse momento eu falei baixinho pra mim "tá errado, Mara...tá errado, Mara...Esse cara é louco" e escrevi mais uma mensagem para minha amiga: "I., acabou de acontecer uma coisa muito estranha" ela imediatamente respondeu me perguntando o que aconteceu.
Ele saiu do provador com as bermudas, escolheu duas (se não me engano), olhou pra mim e comentou "As garotas da Ser...são mais soltinhas né?" Eu com a cara fechada respondi "Eu não sei não, eu sempre fui de ficar em casa e quase não sair e minhas amigas são do mesmo jeito" nesse momento talvez ele tenha percebido minha alteração porque baixou a cabeça e disse "não é que eu..." e eu retruquei antes dele terminar "pronto, está aqui sua sacola". Ele pagou uma parte e ficou faltando outra que ele ia pagar depois. Assim que saiu eu continuei falando com minha amiga e contei tudo o que aconteceu. Ela me respondeu: "Amiga, tu entendeu que acabou de ser assediada, não é?" Eu comecei a sentir um forte incômodo no estômago e o choro entalou na garganta. Ela continuou "Liga para a chefe agora e conta o que aconteceu, não espera até ela chegar". Mandei mensagem para minha chefe: "A. E., acabou de acontecer algo, preciso urgente falar contigo" Ela não me respondeu, liguei para ela e também nada de atender...mandei mensagem para outra amiga (G) que estava conversando mais cedo e para o meu namorado na época (T). Consegui mandar áudio para essa amiga contando, não lembro se tive coragem de contar tudo...para o meu namorado perdi a coragem, por algum motivo eu simplesmente não soube como falar então calei e disse que depois eu falava, ele disse que tudo bem, que ia dormir e mais tarde nos falávamos. Tudo isso aconteceu mais ou menos em 30 minutos.
Em seguida, uma das mulheres que eu estava atendendo voltou e enquanto ela estava lá o R. apareceu novamente para terminar de pagar a conta. Meu coração acelerou e eu inconscientemente só soube agradecer por não está sozinha naquele momento. Ele olhou assustado, me deu o dinheiro e saiu da loja. A mulher foi embora também e novamente eu estava sozinha, então peguei meu celular e vi a ligação da A. E., consegui finalmente falar com ela. Eu chorei no telefone, chorei como criança porque eu fiz o que nunca pensei que ia fazer, agir naturalmente enquanto algo desse tipo acontecia. Minha chefe ficou sem reação, ela também não acreditava no que tinha acontecido, que se fosse ela tinha gritado e colocado para fora da loja, mas me entendia, porque eu era apenas uma moça sozinha que paralisou frente ao medo. Eu disse que não queria nunca mais atender ele e ela imediatamente me disse que nunca mais eu ia atender ele e nem outros homens iriam usar o provador enquanto eu estivesse sozinha na loja. Que se eu quisesse denunciar o que houve ela me apoiaria ou então contar para a mulher do R...Mas eu não tinha nenhuma testemunha do que aconteceu, era minha palavra contra a dele e se meus pais soubessem, eles iam ficar tão loucos que era capaz de acontecer uma tragédia. Nós moramos em uma cidade pequena, com que cara eu conseguiria andar com todo mundo me olhando e comentando sobre o fato? Eu não tinha nem coragem de contar para a A. sobre como o marido dela agiu. Eu estava sem chão e completamente indefesa, sem nada que me sustentasse. Tudo me levava a calar e como é traumatizante.
Cheguei em casa meio dia para almoçar e pedi a minha irmã (Y) para escutar o áudio que enviei a minha amiga G. Ela ouvia e olhava pra mim enquanto lágrimas caíam do meu rosto silenciosamente. Eu tava com tanto medo que pedi para ela ir a tarde comigo para a loja, mas ela não podia por causa de trabalhos da faculdade. Então mandei mensagem para um amigo agregado da família (C), relatei por cima e pedi que ficasse comigo. Já na loja eu contei pra ele e falei como eu ainda não sabia com que palavras eu ia contar para o meu namorado na época (T) mas tinha que contar. Não sei o porquê disso, eu sabia que ele ia me entender, acho que estava com vergonha e não queria ele querendo tirar satisfações ou qualquer coisa. No fim, eu estava com vergonha de mim, eu me odiava naquele dia e ainda hoje por ter agido daquela forma. No fim daquela tarde contei sem tantos detalhes o que houve para o meu namorado T. Ele ficou desnorteado e disse que apoiava a minha decisão. Mas ainda não acabou...
No final de Julho de 2019, nós estávamos em uma festa e meu namorado T me levou para sentarmos na calçada da igreja, enquanto caminhávamos até lá, eu vi o R. com sua esposa A. Me encolhi perto do T e disse "Foi ele, T" e ele perguntou "Ele quem??" e eu continuei "O cara da loja que eu te falei" já tinha um nó na minha garganta nesse momento, o T segurou um pouco mais forte minha mão e passamos o mais longe que deu. Quando eu olhei para trás, o R. estava me olhando. Eu virei rapidamente e continuei andando até sentar na calçada e fingir que nada tinha acontecido. Nessa noite, eu fui dormir na casa da minha melhor amiga (E), contei tudo para ela e mais lágrimas escorreram, aliás, toda vez que preciso falar sobre isso, meus olhos enchem de lágrimas e o nó na garganta surge.
Em Agosto de 2019, mandei mensagem para a A., contando que agora eu era candidata ao Conselho tutelar e se ela podia me ajudar votando em mim (De verdade, ela é um amor). Ela me disse que tinha prometido o voto dela para uma amiga, mas torcia muito por mim. Até ai tudo bem, mas em seguida ela me manda mensagem dizendo que o R. mandou me dizer que ele ia votar em mim. Eu não soube nem o que responder. Um tempo depois recebi solicitação de amizade dele nas redes sociais e ignorei.
Até hoje, minha chefe A.E. quando viaja me manda mensagens perguntando se nada de anormal aconteceu e se eu estou bem. Até hoje, a maioria dos meus amigos não sabem que isso me aconteceu e boa parte dos que sabem, não conhecem essa história por completo.
Se antes eu não consegui denunciar, hoje muito menos...continuo traumatizada, me sentindo impotente e ridícula por não ter agido como sempre pensei que agiria se algo assim me acontecesse. Meus amigos me dizem que não tenho culpa, que é normal paralisar, que entendem que eu tenha medo de abrir essa história para quem eu deveria, medo de ser julgada e de acontecer algo fora do controle. Eu ainda sinto que é só a minha palavra contra a desse cara e ainda por cima, um argumento muito forte "Ela agiu naturalmente, por que agora está aqui denunciando? é mentira dela"
Eu sou mais uma vítima da sociedade machista, que me impediu de acreditar que eu estava sofrendo assédio, que me fez duvidar do que estava pensando e sentindo, que me fez calar e achar que tudo era normal sendo que nada daquilo era normal e principalmente que me fez ter medo de tudo.
submitted by MaraCoastline to u/MaraCoastline [link] [comments]


2019.10.13 03:37 pripas Eu, prestes a completar 27 anos, voltei a escrever num diário

Tem tempo que eu não escrevia. Na verdade, ultimamente, eu não consigo escrever, ler por por prazer, apreciar as letras como eu sempre fiz.
Se eu vivia na fantasia? A menina que eu inventei pra disfarçar a melequenta que vive dentro de mim está sendo tratada pelo eu que eu quero ser. Tem sido difícil. Ainda mais com a ansiedade.
Eu lembrei de quando eu escrevia diários. Eu escrevia enquanto passava novela, enquanto meu pai bebia, enquanto minha mãe gritava, enquanto eu chorava e, até, enquanto a vida fingia a normalidade de uma família de comercial de margarina recebendo os parentes com dinheiro. Será que, de tanto fingir, eu ainda finjo hoje? Porque, mesmo saindo de lá, eu fingi ser algo que eu não sou e ter bens e qualidades que eu não tenho.
Eu tenho um problema.
Ontem eu lembrei que desde sempre eu gostava de sair: nunca gostei de ficar um dia inteiro presa dentro de casa. Mas eu sempre queria sair pra comprar algo. Por mais medíocre e insignificante que fosse.
Eu precisava.
Eu ainda preciso.
Mas eu não quero mais ser refém da melequenta ou fingir ser um eu melhor. Eu estou em processo de construção. E está difícil.
Talvez escrever ajude, né?
Por isso, querido diário, você voltou a existir. Eu vou voltar a escrever quando eu quiser chorar, quando eu quiser mentir, quando eu quiser fingir e quando eu quiser comprar.
Por favor me ajude
Hoje foi um dia bom mas eu me sinto um lixo. "Eu sou lixo"...mas no toy story era engraçado.
Quantos "eus" eu não escrevi nesses parágrafos?
A vizinha fez comida e o cheiro é ruim. Mas a outra, a que bebe e sobre quem um dia eu possa falar (ou não), não está em casa hoje. O que é ótimo, afinal, eu não quero ter que lidar com lembranças de alguém bêbado as9 da manhã.
Hoje, umas 18 horas, eu fui lavar roupa e a vizinha, a da comida mal cheirosa, estava numa discussão com marido dela, como sempre. O tanque no qual eu lavo as calças jeans fica quase de cara com o vitro do banheiro deles e eu ouvi a gritaria embalada pelo Datena ou algum similar narrando o assassinato de uma mulher cometido pelo seu ex-namorado. Ao final da discussão, o homem foi ao banheiro e eu pude ouvir, mesmo tentando não, ele cagar. Além disso, eu ouvi ele ascender um cigarro e senti o cheiro do fumo saindo do banheiro.
Esse cheiro, muito peculiar, eu realmente conheço.
Meu pai fumava no banheiro. Marlboro vermelho.
No auge da doideira, ele também bebia no banheiro.
As vezes, quando eu ia tomar banho, tinha bituca e uma ou duas latas da cerveja da promoção na cantoneira, ao lado do shampoo e da gilete.
Eu tenho alergia a gilete mas pobre não pode se dar ao luxo de ter alergia. Teve um dia que eu fui raspar a perna e me cortei feio. De sujar uma toalha de banho inteira. Eu estava chorando antes de me cortar. Como eu chorava. Como eu choro.
Se resolvesse, minhas olheiras e meus olhos inchados valeriam algo.
"Quem faz coisa errada não pode chorar" e eu engoli o choro. Eu menti e fiz coisa errada. Eu não tenho o direito de chorar.
Mas eu quero consertar. Muito.
Obrigada por receber essas palavras. Desculpe o desabafo e o desconexo. Desculpe não dar contexto, mas a vida não te dá muito contexto. E eu parto do princípio que você nunca me deixou diário, mesmo quando eu te deixei de lado.
submitted by pripas to desabafos [link] [comments]


2019.08.31 06:55 Bianval Será que meu ex é psicopata? (Cuidado com quem se relacionam, não ignorem esses sinais!)

Vocês que se interessam em saber sobre transtornos de personalidade, psicopatas, sociopatas, manipuladores, etc. será que podiam dar uma opinião? Se alguém for um psicólogo, melhor ainda. Sei que fazer um diagnóstico só seria possível diretamente entre o paciente e o profissional. A intenção é compartilhar opiniões, experiências e conhecimento mesmo, e pra gente se proteger de pessoas assim.
Enfim, tenho visto muito o canal Metaforando e estudado sobre transtornos de personalidade. Algumas características que observei no meu ex-namorado:
EMOÇÕES QUE DIZ SENTIR NÃO CONDIZEM COM A LINGUAGEM CORPORAL - Ele dizia que eu era o homem da vida dele, dizia dezenas de frases tiradas de um conto de fadas, mas percebi que ele NUNCA se aproximava de mim, NUNCA me procurava, NUNCA me tocava. Era sempre eu quem procurava para abraçar, beijar, acariciar, ele jamais. Cheguei a testar e não me aproximei, ele ficava dias sem me tocar, mesmo quando estávamos 24h juntos.
O perito do canal Metaforando diz que quando amamos uma pessoa, instintivamente mantemos uma proximidade física. A frequência e duração do toque também são indicativos do grau de afeição. Uma pessoa manipuladora ou com transtornos (ou mal resolvida) poderá dizer que te ama mas não expressará isso na linguagem corporal.
FALTA DE EMPATIA, FRIEZA - todas as vezes que eu sofri na frente dele, quando chorei ou senti dor, ele não demonstrou nenhuma empatia. Pelo contrário, foi sempre frio, arrogante, tentava fazer pouco caso do meu sofrimento, não oferecia nenhuma ajuda e nem conforto. Por exemplo, uma vez fizemos uma longa viagem de carro e passei muito mal (não é comum, mas passei). Enquanto eu pedia pra ele parar o carro pra vomitar, ele se irritava, tentando fazer eu me sentir culpado por a gente chegar tarde. Depois que chegamos, eu ainda vomitando e muito mal, ele me abandonou, tive que ir à farmácia sozinho. Outra vez que fiquei doente, eu estava em outra cidade na casa dele, eu tive que procurar ajuda médica sozinho.
INFÂNCIA TRAUMÁTICA - ele me falou muito do pai dele e quanto o odiava e o temia, de como era agredido emocionalmente e fisicamente. Cresceu com uma educação religiosa rígida (mórmon).
MUDANÇA CONSTANTE DE PLANOS DE VIDA - nos 3 anos que o conheço, ele trocou várias vezes de emprego, mudou várias vezes de planos sobre qual cidade morar, fez planos pra morar em outros países, parece que não tem uma direção.
CHARME, INTELIGENTE, MANIPULADOR, LÍDER - Ele tem muito dinheiro, e tentou me comprar várias vezes. Fez com que eu visitasse várias casas pra ele escolher, na verdade mansões e apartamentos de luxo pra me impressionar, com a promessa de uma vida cheia de amor e conforto. Apesar de não ficar no mesmo emprego, ele consegue posições de liderança.
MUDANÇA REPENTINA DE PERSONALIDADE - um dia ele me dizia dezenas de frases tiradas de um conto de fadas. No dia seguinte era frio e indiferente.
AUSÊNCIA DE MEDO, COMPORTAMENTOS DE RISCO, AGRESSIVIDADE, ARROGÂNCIA - Ele gosta de dirigir o carro em alta velocidade e “bater racha”. Ao visitar montanhas, ele fica de pé na beira do precipício sem medo de morrer. Um dia os vizinhos estavam com o carro parado bloqueando a rua e conversando, em vez de pedir educadamente pra liberarem a rua, ele gritou, desceu do carro pra bater, eu tive que segurar, ele voltou para o carro e saiu cantando os pneus.
- Várias vezes ele foi agressivo e arrogante com pessoas que nos serviam, garçons, taxistas, hotel, etc. por razões triviais. Por exemplo, ele queria bater no taxista, eu tive que tirar do carro, ele bateu a porta porque o taxista pediu pra ficar com o troco de um real.
- Ele nunca me bateu, mas em discussões, ele começava a tremer, respiração ofegante, rosto ruborizado, punhos fechados, músculos contraídos em posição de ataque. Mesmo quando eu tentava fazer as pazes e abraçá-lo, ele dizia pra eu ficar longe ou iria me bater.
MENTIRA PATOLÓGICA, AUSÊNCIA DE REMORSO - Iríamos nos casar (eu não tinha percebido todos esses sinais). Eu fiz exames de DSTs, ele disse que também e é saudável (ele era o enfermeiro chefe de um grande hospital, acreditei). Decidimos não usar camisinha. Ele me passou gonorreia e me acusou, nesse momento ele fez da minha vida um inferno.
Eu fiz perfis fakes no Grindr pra servirem de isca. Fingi ser caras gostosos procurando por orgias bareback (sem camisinha) e scat (sexo com fezes). Dito e feito: ele caiu. Ele combinou sexo sem camisinha com estranhos, pra encher o cu dele de porra, e sexo com fezes, comer fezes de estranhos. Ele enviou fotos de rosto e até localização da casa dele.
Quando eu o desmascarei, ele patologicamente negou tudo, criou a desculpa mais sem noção, de que o Grindr pra ele é só um jogo, nada real, e que se os caras realmente batessem na porta dele, ele iria dizer que não faz nada disso.
Ele disse que nunca fez nada pra me machucar e que tem a consciência limpa.
O pior: ele parece acreditar nas próprias mentiras.
Ele ainda reforçou que sou o homem da vida dele, que devo dar uma chance, que devo acreditar na sua sinceridade para nos casarmos.
submitted by Bianval to arco_iris [link] [comments]


2019.04.20 12:46 AlulimOfEridu Não seja esse cara, cuckado por 8 anos

Traduzido de: https://old.reddit.com/TheRedPill/comments/b0g0s3/dont_be_this_guy_cucked_for_8_years/
Olá a todos, eu gostaria de compartilhar uma história rápida para todos, eu trombei com um amigo e conforme conversávamos um dos nossos amigos em comum foi mencionado, e ele ainda é uma causa perdida.
Essa estória começa na nona série no ensino fundamental/média dependendo de onde vc mora, então vamos chamar esse cara de "Joe". Conheço esse cara desde a 7a série, e agora eu tenho quase 22 para dar um contexto, então isso é mais ou menos 10 anos. Pra ser honesto o Joe é basicamente um conhecido meu, mas sempre nos demos bem; acontece que eu também tenho um bom amigo chamado "Brad" que também é um bom amigo do Joe. Então na 9a série, uma menina chamada "Marie", que é 2 anos mais nova que a gente e que eu diria ser uma HB6/7 com bons peitos dependendo do seu tipo mas que eu consideraria bonitinha na melhor das hipóteses, foi transferida pra nossa escola.
Deixa eu descrever Brad e Joe rapidinho. Brad tem mais ou menos 1,80m e mais ou menos 86kg eu diria, e no final jogava futebol (americano) e fazia wrestling no ensino médio. Mesmo com 14 anos Brad já é muito maior que basicamente 99% na nossa escola e é simplesmente grande pra caralho simplesmente pela sua genética. Joe, por outro lado, tem mais ou menos 1,65m e mesmo na 7a série já era gordo pra caralho, digo mais de 90kg, então é ruim. Ele é um cara legal mas ele tem um humor auto-depreciativo onde ele faz piadas sobre como ele é gordo e em geral simplesmente age de uma forma meio autista, é difícil descrever mas vc deve entender a essência. Ele sempre foi meio que um beta, onde ele emprestava dinheiro e dava coisas de graça pros outros mas não ganhava nada em retorno exceto pela amizade (?).
Agora Brad sempre foi um player e já é bem sexualmente ativo, então ele age e começa a comer a Marie rapidinho, mesmo na 7a série a Marie já é meio que uma vadia kkkk. Agora como Joe e Brad são basicamente vizinhos, eles já passam um bom tempo na casa do Joe, e como Brad tá "namorando" a Marie, os três passam um bom tempo juntos. Para Joe, foi amor a primeira vista, e ele segura vela para Brad e Marie o tempo todo que eles estão "namorando", além de pagar pelos encontros deles e todo tipo de merda, bem patético na minha opinião.
O Brad só namora/come a Marie por alguns meses e então sai fora bem rápido porque ele nota que Marie é na verdade louca pra caralho e tem um monte de problemas psicológicos e problemas com o pai. Então agora nós estamos no ensino médio e Joe já foi posto na friendzone há um bom tempo mas ainda assim faz questão de passar todo o tempo possível com Marie, que agora está na 8a série, mandando msg e passando tempo com ela quando ele tem tempo, e também segurando vela com Marie e seu novo namorado. Então durante todo o ensino médio, Joe passa tempo com Marie sempre que ele pode, e conforta Marie toda vez que ela termina com o mais novo namorado. Vc vê onde eu quero chegar né?
Fica pior, nesse ponto eu já não vejo mais esse pessoal tanto, nós todos seguimos em frente mas eu tento entrar em contato quando dá. Cerca de 3 anos atrás, eu fui pra casa do Joe para uma festa e depois de algumas horas, era só eu, Brad, um cara aleatório e Joe. Então nós já estávamos bem bêbados a esse ponto e Joe confessa que ele tá segurando vela pra um outro casal, mesmo depois de todas as vezes ao longo desses anos em que nós tentamos intervir pra evitar que ele fosse corneado, ele não consegue evitar se apegar a garotas que já estão namorando. Então a esse ponto ele já segurou vela pra Marie por tipo 5-6 anos, ele arrumou um emprego onde ele fica na friendzone de uma outra guria, e antes dessa guria no novo emprego ele tava na friendzone de novo. Vê o padrão?
Então nós completamos o círculo nessa história onde eu trombo no Brad hoje e nós botamos o assunto em dia. Brad menciona que ele e seus amigos fizeram outra intervenção sobre essa merda sabe lá quantas vezes. Então depois de 2-3 anos sem ouvir do Joe, ele está de novo segurando vela/na friendzone pra Marie, dando carona pra ela e pro novo namorado por aí e comprando coisas pra eles o tempo todo. Joe também terminou a escola e agora tem ainda mais renda extra pra gastar com a Marie.
Que isso seja uma lição senhores, algumas pessoas simplesmente não aprendem. Eu tava caindo de volta no programa Pílula Azul recentemente, mas depois de digitar tudo isso, eu preferiria me matar que terminar como o Joe.
NLNL: Alfa pega, Beta paga.
submitted by AlulimOfEridu to PilulaVermelha [link] [comments]


2018.12.05 23:22 avehomem [10 anos] COMO ME FUDI NO SHOW DO LOS HERMANOS

O texto abaixo corre a internet já faz algum tempo já faz pelo menos uma década. Vi a notícia do show do Loser Manos e quis reler o texto. Fui procurar e notei que o texto foi publicado neste blog em 11 de novembro de 2008. Ou seja, completou 10 anos algumas semanas atrás.
Pelo que parece é a fonte original, mas não tenho certeza. Eu, assim como todos meus conhecidos, li em algum outro fórum ou comunidade do Orkut. Divirtam-se!

COMO ME FUDI NO SHOW DO LOS HERMANOS,
por Adolar Gangorra em adolargangorra

Voltei para o Brasil há pouco tempo. Vivia com minha família na Inglaterra desde garoto. Estou morando no Rio de Janeiro há uns três meses e agora estou começando a me enturmar na Universidade. Não sei de muita coisa do que está rolando por aqui, então estou querendo entrar em contato com gente nova e saber o que tá acontecendo no meu país e, principalmente, entrar em bastante contato umas garotas legais, né?

Mas foi meio por acaso que eu conheci uma menina maneiríssima chamada Tainá. Diferente esse nome, hein? Nunca tinha ouvido. Estava procurando desesperadamente um banheiro no campus quando vi uma porta que parecia ser a de um. Na verdade, era o C.A. da Antropologia. A garota já foi logo me perguntando se eu queria me registrar em algum movimento estudantil de sei lá o que. Que bacana! Que politizada ela era! E continuou a me explicar a importância de eu me conscientizar enquanto enrolava em beque da grossura de uma garrafa térmica. Pensei em dizer que estava precisando cagar muito rápido, mas ela era tão gata que eu falei que sim. Tainá: cabelos pretos, baixinha e com uma estrutura rabial nota dez... Aí, acho que ela me deu um certo mole... Conversa vai, conversa vem, ela me chamou para um show de uma banda naquela noite que eu nunca tinha ouvido falar: Loser Manos. Nome engraçado esse! Estava fazendo uma força sobre-humana para manter a moréia dentro da caverna, mas realmente tava foda. Continuamos conversando e rindo. Ela riu até bastante, mas eu, na verdade, tava era mesmo rilhando os dentes porque assim ficava mais fácil disfarçar as contrações faciais que eu estava tendo ao travar o meu cu para não cagar ali mesmo na frente dela.

Pensando bem, eu tinha ouvido falar sim alguma coisa sobre essa banda lá na Europa ainda, mas não lembro bem o quê. Ah, acho que vi esses caras hoje no noticiário local dando uma entrevista. Achei que fosse uma banda de crentes tradicionalistas tipo Amish. Todos de barba, com umas roupas meio fudidas. Parecia até a Família Buscapé! Dão a impressão de ser uns sujeitos legais, mas o que me chamou a atenção mesmo foi o jeito da repórter, como se fosse a fã nº 1 deles, como se estivesse cobrindo a volta do Beatles ou coisa parecida. Não entendi esse jeito "vibrão" de trabalhar. Bom, mas se eu conseguir ficar com o bicho bom da Tainá hoje à noite, já tô no lucro! Marcamos de nos encontrar na entrada do ginásio. Rapaz, acho que tô dando sorte aqui no Brasil!

Ia ser fácil achar essa garota no meio da multidão. Ela se veste de uma maneira estilosa, diferente, bem individual: sandália de dedo, saia indiana, camiseta de alça, uma bolsa a tiracolo e o mais interessante: um óculos retangular, de armação escura e grossa, engraçado até! Depois de uns mil "Desculpe, achei que você fosse uma amiga minha.", finalmente encontrei Tainá e seu grupo de amigos. Cacete, isso sim é que é moda! Parecia uniforme de escola!

Ela me apresentou suas amigas, Janaína e Ana Clara e seus respectivos namorados, Francisco e Bento. Uma mistura de fazendeiros com intelectuais. Um cara de macacão, de sandália de pneu e com ar professoral. Outro de colete, tênis adidas, óculos e também com ar professoral. Pareciam ser legais, "do bem" como eles mesmo falam... Mas que não me deram muita conversa. "Do bem", isso mesmo! Gíria nova... Todos aqui são "do bem". E que nomes tão simples e idílicos! Janaína, Ana Clara, Francisco, Bento e Tainá. Nada de Rogérios ou Robertos. E eu que já tava me sentindo meio culpado por me chamar Washington... Realmente estava no meio de uma nova época da juventude universitária brasileira!

Comecei a conversar com a Tainá antes que a banda entrasse no palco. Aí... acho que tá rolando uma condição até! Quem sabe posso me dar bem hoje? Ela começou a falar de música: "De quem você é fã?", perguntou. Pô, eu me amarro no George..." Ela imediatamente me interrompeu, dizendo alto: "Seu Jorge? Eu também amo o Seu Jorge!" Puxa, que legal! Ela gosta tanto do George Harrison que se refere a ele com uma intimidade única! Chama ele de "Seu"! Seu Jorge! Isso é que é fã! "Legal você já conhecer ele, hein? Eu sabia que ele ia se dar bem na Europa! O Seu Jorge é um gênio!", ela emendou. Pô, eu morava na Inglaterra. Como eu não ia conhecer o George Harrison?

Essa eu não entendi...

Logo ela perguntou quais bandas que eu gostava. "Eu curtia aquela banda da Bahia...".

"Ah, Os Novos Baianos, né?? Adoro também!" "Não, Camisa de Vênus! "Silvia! Piranha!" cantei, rindo. A cara que ela fez foi de quem tinha bebido um balde de suco de limão com sal. Senti que ela não gostou muito da piada. Tentei consertar: "Achava eles engraçados, mas era coisa de moleque mesmo, sabe?" Óbvio que não funcionou... Aí, acho que dei um fora...

Depois, Tainá foi me explicando que o tal Loser Manos é a melhor banda do Brasil, etc., etc., etc., e que eles "promovem um resgate da boa música brasileira". "Tipo Os Raimundos com o forró?", perguntei. "Claro que não!", disse ela meio exaltada! Ela me falou que não se pode comparar os Hermanos com nada porque "eles são únicos", apesar de hoje existirem outros excelentes artistas já reverenciados pela mídia do Rio de Janeiro como Pedro Luis e a Parede, Paulinho Moska, O Rappa, Ed Motta, Orquestra Imperial, Max de Castro, Simoninha e Farofa Carioca. Ela mencionou também "Marginalia" ou coisa parecida. Foi isso mesmo que eu ouvi? Achei que ela estivesse elogiando eles... Esses foram os nomes artísticos mais escrotos que já tinha ouvido, mas fiquei quieto. Fico feliz em saber sobre essa nova onda musical pois quando saí do Brasil o que fazia sucesso no Rio era Neuzinha Brizola e seu hit "Mintchura". Ainda bem que tudo mudou, né?

Só depois percebi que o nome da banda é em espanhol: Los Hermanos. Ah bom! Mas se eles são tão brasileiros assim porque não se chamam "Os Irmãos"? Quando saí daqui os nomes de muitas bandas costumavam ser em inglês e até em latim. Ainda bem que essa moda de nomes de bandas em espanhol não pegou no Brasil!

Pelo que me lembro, ao explicar qual é a dos "Hermanos", ela usou a expressão "do bem" umas 37 vezes e disse que eles falam de romantismo, lirismo, samba e circo. Legal, mas circo? Pô, circo é foda! Uma tradição solidificada nos tempos medievais que ganha dinheiro maltratando animais. Onde está a poesia de ver um urso acorrentado pelo pescoço tentando se equilibrar miseravelmente em cima de uma bola enquanto é puxado por um cara com um chicote na mão? Rá, rá, rá... Engraçado pra caralho! Na boa, circo é meio deprimente. Palhaço de circo só troca tapão na cara e espirra água nos olhos dos outros com flor de lapela e quando sai do picadeiro, vai chorar no camarim. Que merda! A única coisa legal no circo mesmo é quando ele pega fogo! Isso sim que é um espetáculo de verdade! Aquela correria toda, etc. Senti que essa galera se amarra em circo. Não faz sentido se eles são tão politicamente corretos assim, né? E os pobres animais? E eu querendo não passar em branco na conversa com a Tainá, mas não conseguia lembrar de jeito nenhum a única coisa que eu sabia sobre a banda... Cacete...! O que era mesmo?

De repente, uma gritaria histérica! O show tava começando! O ginásio veio a baixo! Perguntei pra ela: "Eles são todo irmãos, né, tipo o Hanson?" Ela disse um "não" esquisito, como se eu tivesse debochando. Todos eles usam uma barba no estilo Velho Testamento e se chamam "Los Hermanos"! O que ela queria que eu pensasse? Após ouvir a primeira música deu pra ver que os caras são profissionais mesmo, tocam muito bem e são completamente idolatrados pelo público, para dizer o mínimo. Fiquei prestando atenção ao show. Pô, as músicas são boas! Dá pra ver uma influência de Weezer, Beatles e Chico Buarque. Esse aí é fodão, excelente compositor mesmo. Lá na Inglaterra conhecia uns caras que eram ligados ao movimento "Dark", como chamam por aqui. São os sujeitos que gostam de The Cure, Bauhaus, Sister of Mercy, etc. E tem a maior galera aqui no Brasil também que se veste de preto, não toma sol, curte um pessimismo niilista e se amarra nessas bandas. Mas se eles sacassem que o Chico Buarque é o genuíno artista "Dark" brasileiro... Pô, é só ouvir as músicas dele pra perceber: "Morreu na contra-mão atrapalhando o tráfego" ou "O tempo passou na janela é só Carolina não viu". "Pai, afasta de mim esse cálice, de vinho tinto de sangue" ou "Taca pedra na Geni, taca bosta na Geni, ela é boa pra apanhar, ela é boa de cuspir, ela dá pra qualquer um, maldita Geni". Tudo alegrão, né? Aí, se eu fosse dark, só ia ouvir Chico Buarque, brother!

Tentei reengatar a conversa dizendo que achava ao baixista o melhor músico dos Los Hermanos. Ela respondeu, meio irritada: "Mas ele não é da banda!" Como eu ia saber? O cara tem barba também! Aí, não tô entendendo mais nada...

Adiante, ela me disse que o cara que ela mais gostava na banda era um tal de Almirante. Depois de alguns minutos deu pra ver que o camarada imita um pouco os trejeitos do Paul McCartney, só que em altíssima rotação. Ele fica se contorcendo feito um maluco enquanto os outros ficam estáticos. É engraçado até! Parece que ele tem uma micose num lugar difícil de coçar! E fica falando e rindo direto. Ele é o irmão gaiato do cara que canta a maioria das músicas, o tal de Marcelo Campelo, como anunciaram no noticiário local hoje. Isso mesmo, Marcelo e Almirante Campelo: "Os Irmãos"! Legal! Já tava me inteirando! Ah, e tem também dois gordinhos de barba que estão lá também, mas devem ser filhos de outro casamento...

Tava um calor desgraçado, coisa que eu realmente não estou mais acostumado. Fui rapidão ao bar pra beber alguma coisa. Comprei umas quatro latas de refrigerante que era o único troço que tava gelado para oferecer para meus novos amigos: "Aí, trouxe umas coca-colas pra vocês!" Ouvi a seguinte resposta: "Coca-Cola? Isso é muito imperialista... Guaraná é que é brasileiro!" Puxa, que pessoal politizado... Isso mesmo, viva o Brasil! "Yankees, go home", rá, rá! Outro fora que eu dei! Mas, pensando bem, eles não usam o Windows e o Word pra fazer trabalhos da universidade? Ou usam o "Janelas"? Dessas coisas gringas não é tão mole de abrir mão, né? Mais fácil não tomar Coca-Cola! Isso sim que é ativismo estudantil consciente! Posicionamentos políticos à parte, tava quente pra burro, então bebi tudo sob o olhar meio atravessado de todos eles... fazer o quê?

Lá pelas tantas, começou uma música e todo mundo berrou e pulou. Parecia o fim do mundo. Logo nos primeiros acordes, reconheci o som e falei pra Tainá: "Ah, eu sei o que é isso! É um cover do Weezer! Me amarro em Weezer!" Ela olhou pra mim com uma cara indignada e disse: "Que Weezer o quê? O nome dessa música é "Cara Estranho". Já vi que não gostou de novo... Mas quem sou eu pra dizer algum coisa aqui, né? Porra, mas que parece, parece! Mas o que era mesmo que eu não consigo lembrar de jeito nenhum sobre eles? Acho que conheço alguma outra música deles... Só não consigo dizer qual...

Sabia que se eu quisesse me dar bem logo com a Tainá teria que ser entre uma música e outra pois parecia que ela estava vendo um disco voador pousar enquanto os caras tocavam. Resolvi fazer uma piada pra descontrair, que sempre rola em shows. Quando o Campelo tava falando alguma coisa qualquer, berrei: "Filha da putaaaaaaaaaa!" Pra que? Tainá e sua milícia hermanista me deram uma cutucada monstra na costela que me fez enxergar em preto e branco uns 5 minutos! Pô, todo show alguém grita isso! É quase uma tradição até! Eu me amarro no cara! E é só uma piada! Aí, esse pessoal leva tudo muito a sério! Caralho... Pensei em pegar uma camisinha da minha carteira e fazer um balão e jogar pra cima, como rola em todo show, pra mostrar pra Tainá que eu sou uma cara consciente, tipo: "Aí, Tainazão, se tu se animar, eu tô preparado!", mas depois dessa vi que senso de humor não é o forte dessa galera...

O tempo tava passando e nada de eu ficar com minha nova amiguinha. Quando fui tentar falar uma coisa no ouvido dela, foi o exato momento em que começou uma outra música. Foi aí que a louca deu um grito e um pulão tão altos que eu levei uma cabeçada violenta bem no meio do meu queixo! Ela não sentiu nada, óbvio, pois estava em transe hipnótico só por causa de uma canção sobre a beleza de ser palhaço ou lirismo do samba ou qualquer outra coisa do gênero. A porrada foi tão forte que eu mordi um pedaço da língua. Minha boca encheu d´água e sangue na hora! Enquanto eu lutava pra não desmaiar, instintivamente enfiei a manga da minha camisa na boca pra estancar o sangue e não cuspir tudo em cima de Ana Claudia e Jandaína or something. Só que estava tão tonto com a cabeçada que tive que me segurar em uma ou outra pessoa pra não cair duro no chão. Foi quando ouvi: "Nossa, que horror! Lança-perfume! Esse playboy tá doidão de lança! Que decadência..." Lança-perfume? Cara, lógico que não! E mesmo que tivesse, todo show tem isso! Mas nesse, não pode. É "do bem". É feio ter alguém cheirando loló!! Pô, todo show que eu fui na vida tinha alguém movido a clorofórmio. Aqui, não. Rapaz, onde fui me meter?

Babei na minha camisa até o ponto dela ficar ensopada! Fui ao banheiro tentar me recuperar do cacete que tomei. Lavei o rosto e tirei a camisa. Quando voltava passei por uma galera e ouvi resmungarem alguma coisa do tipo: "...e esse mala aí sem camisa..." Porque não se pode tirar a camisa num show? Isso aqui não é só uma apresentação de uma banda? Parecia que eu ainda estava na Europa! Regulões do caralho... E, afinal, o que significa "mala"?

Estava enxergando tudo embaçado e notei que minhas lentes de contato tinham saltado pra longe com a cabeça-aríete de Tainá e esmagadas por centenas de sandálias de dedo. Lembrei que sempre levo um par de lentes extras no bolso. É uma parada moderna que eu achei lá em Londres. Um estojo ultrafino com uma película de silicone transparente dentro que mantém as lentes umedecidas e prontas para uso. Abri o estojo e peguei cuidadosamente a película com as duas mãos e elevei-a contra a luz para conseguir achar as lentes. Estiquei os polegares e indicadores, encostando uns nos outros, para abrir a película entre esses dedos. Balançava o negócio levemente, de um lado para o outro, contra a pouca luz que vinha do palco para conseguir localizar as lentes. Não estava enxergando nada direito! Quando tava lá com as mãos pra cima, fazendo uma força absurda pra achar as lentes, um dos caras legais com nomes simples, me deu um puta safanão no ombro. É claro que o silicone voou longe também... Caralho, minhas lentes! Custaram uma fortuna! Que filho da puta! "Que sinal é esse que tu fazendo aí, meu irmão? Tá desrespeitando as meninas?"

"Que sinal?? Que sinal??", respondi, assustado!

"De buceta, palhaço!", apertando o meu braço que nem um aparelho de pressão desregulado. "Você tá no show do Los Hermanos, ouviu? Los Hermanos! Ninguém faz sinal de buceta em um show do Los Hermanos, sacou?", gritou o tal hipponga na minha cara.

Que viado, eu não tava fazendo nada! Parecia uma freira de colégio! Que lance é essa de buceta? Da onde esse prego tirou isso? As meninas... (Perái! Menina? A mais nova aí tem uns 25!) ficaram me olhando com a cara mais escrota do mundo! A essa altura, já tinha percebido que não ia agarrar a Tainá nem que eu fosse o próprio Caetano Veloso! "Bento", que nome mais ridículo... Isso aqui é um show ou uma reunião de alguma seita messiânica escolhida para repovoar a Terra?

Caramba, que noite infernal! Tava com a língua sangrando, sem enxergar direito, só de calça, arrotando sem parar e puto da vida porque só tinha aceitado vir aqui por causa de mulher. Estava no meu limite. Isso era um show ou uma convenção do Santo Daime? Que patrulhamento! E, de repente, vejo Tainá e seus amigos olhando feio pra mim e cantando a seguinte frase: "Quem se atreve a me dizer do que é feito o samba?" Aí foi demais! Eu me atrevo: Ritmo, melodia e harmonia. Pronto, só isso! Mais nada! Olha só: foda-se o samba, foda-se o circo, foda-se a obsessão por barba da família Campelo e, principalmente, foda-se essa galera "do bem" que está aqui!

Apesar de tudo, a banda é realmente é muito boa! O que incomoda mesmo é esse público metido a politicamente correto e patrulhador e a imprensa que força a barra pra vender alguma imagem hipertrofiada do que rola de verdade. Esse climão de festival antigo de música popular brasileira, daqueles com imagens em preto e branco, com todo mundo participando, que volta e meia reprisam na tv, tudo lindo e maravilhoso. "Puxa vida, um novo movimento musical brasileiro!"? "Estamos realmente resgatando a nossa cultura!" ? Que exagero... Ei, é só música pop! MÚSICA POP!

Caralho, finalmente lembrei! Eu conheço uma música deles! Ouvi em Londres! Numa última tentativa de salvar meu filme com Tainá, na hora do bis, berrei bem alto: "TOCA ANA JULIA!" Só acordei no hospital. Tomei tanta porrada que vou ter que fazer uma plástica pra tirar as marcas de pneu da minha cara! Fui pisoteado! Neguinho ficou puto! Qual é o problema com essa música? Me lembro de estar sendo chutado pela elite dos estudantes universitários brasileiros e da própria Tainá, gritando e me dando um monte de bolsadas na cabeça! Que porra louca! Tentaram me linchar! Ofendi todo mundo! Pô, Ana Julia é uma música boa sim! É um pop bem feito! Se não fosse, o "Seu Jorge" Harrison não teria gravado, né? Se ele não entende de música, quem entende? Me disseram depois que o tal Campelo se retirou do palco chorando, magoado, e o outro irmão mais novo dele, o nervosinho que imita o Paul McCartney, pulou do palco pra me bicar também. Do bem? Do bem é o cacete...

Aí, sinceramente, ainda prefiro o show do Camisa de Vênus...
submitted by avehomem to brasil [link] [comments]


2018.11.22 18:05 Dinohobby Traduzi o famoso GT "don't worry, he knows"

Traduzi o famoso GT
esse texto é uma merda e eu não sei formatar pra ficar igual uma gt aqui, mas pelo menos agora quem não sabe inglês pode sofrer junto


https://preview.redd.it/bcoado4y4xz11.jpg?width=261&format=pjpg&auto=webp&s=9c3cf2b86d140599c553c4bc46be215a16d80839


O que fazer /b/? Estou apaixonado pela mesma garota por basicamente minha vida inteira, mas a situação tá tão fodida agora que eu não sei como parar de ligar pra ela.
> apaixonado pela mesma garota minha vida toda
> conheço ela desde o jardim da infância
> os pais dela são pobres e vivem numa casa com um quarto e quatro crianças então ela vem dormir aqui quase toda noite
> saímos juntos quase todo dia por anos
> todos nossos amigos faziam piadas sobre a gente se casar um dia
> ela sabe que eu gosto dela e ela diz que sente o mesmo mas que “não quer rotular isso”
> consigo ficar com ela, mas nada além disso
> ela diz que gosta muito de mim e que tem medo de que vamos acabar fazendo “aquilo” se a gente tentar mais alguma coisa
> decido continuar sendo virgem até me casar com essa garota
> nós dois costumamos sair com dois garotos (vamos chamar eles de Eric e Dave)
> no geral é a gente jogando Halo na minha casa
> às vezes fumar uma verdinha quando Eric consegue um pouco
> falamos sobre festas mas nunca fomos convidados
> Eric começa a andar com o primo viado e velho dele de vez em quando
> Zoamos ele por sair com um cara de 37 anos
> Diz que o primo compra cerveja e deixa ele fumar na casa dele
> Bomporquenaodisseantes.jpg
> Começamos a ir pra casa do primo dele beber e jogar Halo uma vez por semana quando a esposa dele leva as crianças para ver os pais dela
> Ele compra a breja, tem comida, jogos, não é ruim
> Às vezes ele tem uma atitude cuzona de ficar mandando na gente e se achar o rei dos nossos rolês semanais mas foda-se
> Começo a trazer minha pseudo namorada pra lá
> Primo sempre tá de olho nela mas ela tá acostumada em ser a única garota dos nossos rolês então de boa
> Mesmo que esse velho fodido saiba que essa mina tá fora dos limites ele continua tentando dar em cima dela
> Pior parte é que ela parece não ligar
> Um dia ele pergunta por que não aparece que eu sou o namorado dela no face
> Mcq ela diz “ah, ele é mais um melhor amigo que qualquer outra coisa”
> Ódio pulsante quando ele diz “zé, tu tem que prender essa mina cara, ela tá transando”
> Só vemos esse fodido uma vez por semana e ela continua dormindo na minha casa sempre então acho que não vai dar em nada
> Eu continuo falando pra ela que ele é um pau no cu
> Ela concorda comigo mas diz “você me conhece, eu nem sei ser rude”
> Além disso a gente não pode simplesmente parar de ir, nosso ritual tá bem estável nesse ponto
> Uma hora começamos a misturar bebida com Halo, halobida
> Somos retardados não pensamos nisso antes
> Primo velhote fodido fica criando regras aleatórias toda vez
> “regras da casa” como ele diz
> Como a pseudo namorada não joga, às vezes ele cria regras envolvendo ela
> Ela tem que tomar as cervas se tiver um multikill, merda assim
> Um dia ele propõe que ela tenha que sentar no colo de quem ganhasse o próximo jogo
> Esse merda é o melhor de nós, então obviamente essa regra é pra ele
> Eu começo a falar “cara eu acho que ela não quer...”
> Quando ao mesmo tempo ela ri e diz “vocês viu...” implicando que tudo bem
> Me sinto como um baita viado por tentar proteger demais e vou na onda deles
> Ela fica a maior parte das próximas horas no colo dele
> Emputecido quando a gente foi pra casa, eu brigo com ela e depois nos reconciliamos como sempre
> Continua sendo essa merda pelas próximas vezes
> Maior parte das vezes sentadas de colo
> Às vezes fazem ela dançar uma “dança sexy só de zoas”
> Nada que eu possa ficar publicamente puto por
> Meu tio tem um casamento no mesmo dia que um desses rolês acontece
> Peço pra ela não ir
> Ela diz “provavelmente ela não vai”
> Peço de novo, praticamente implorando dessa vez
> Ela diz que vai tentar não ir mas que os garotos enchem muito o saco e que ela não sabe dizer não
> Ambas declarações são corretas, mas eu fico puto com ela e falo pra ela ter bolas o suficiente pra isso
> Brigamos de novo
> Não tenho tempo pra reconciliar antes de ir pro casamento
> Tenhoummalpressentimento.jpg
> Nervoso o fim de semana inteiro
> Falo com ela por mensagens na viagem de volta com meus pais, ela diz que vai me ligar quando eu voltar, pelo tom de voz dá pra saber que ela se sente culpada
> Aicaralho.png
> Acontece que ela ficou bêbada demais e eles implementaram stripping no jogo, primo, Eric e Dave viram ela completamente nua
> Queporraéessa.jpg
> Brigamos de novo
> Mcq eu percebo que eles tiveram mais prazer sexual com ela que eu até agora
> Penso que acabou, terei que procurar uma nova vida social agora
> Ela me chama de madrugada e vem em casa
> Chora pedindo desculpa, diz que tem um problema muito complicado com falar não e que vai tentar consertar isso
> Perdoo ela e vamos para a cama dando abraços
> Bem estranho com Eric e Dave a próxima vez que vejo eles
> Não falamos sobre o assunto mas eventualmente temos uma conversa de perdão meio estranha já que eu tô claramente bravo
> Ela para de ir na casa do primo pau no cu por um tempo
> Uma hora ela volta a ir
> “para consertar todas nossas amizades” ela diz
> As coisas de forma lenta mas firme começam a evoluir para o que era antes
> Eu sei que eu tenho que colocar um fim nisso
> Percebo que álcool é a principal diferença da minha casa para a casa do primo
> Começo a pegar bebidas do armário dos meus pais quando a gente joga Halo em casa
> Não sei muito bem o que eu tava pensando já que a gente continuava indo pra casa do primo
> Uma hora meus pais descobrem
> Minhas notas também tão caindo
> Combo deixa eles putos pra caralho
> Pseudo namorada não pode mais dormir em casa e eu não posso sair por uma semana
> Pseudo namorada e eu brigamos por isso e eu nem lembro o porquê
> Recebo mensagem do primo uns dias depois falando que ele vai ter a casa vazia e que é pra gente ir
> Noooooooooooooooooooooooooo.jpg
> Tento sair escondido mas sou pego
> Fico ligando pra ela o tempo inteiro mas ela ainda tá brava comigo e não atende
> Dia seguinte ainda sem contato, fim de semana então não vejo ela na escola
> Queporraéssaqueporracaralhoéessa.jpg
> Enlouqueço praticamente tendo um surto emocional
> Vejo ela na escola quando a Segunda finalmente chega
> Ela me ignora o dia todo
> Ela vai pra casa antes de eu poder encontrar ela depois da aula
> Chamo ela uma porrada de vez, falo pra ela que meu castigo acabou e que eu realmente quero falar com ela, se tiver acabado pelo menos que ela me fale isso
> Encontro Eric e Dave, muito nervoso para perguntar de forma tranquila o que caralho aconteceu
> Muito fodendo estranho mas basicamente eles me dizem que jogaram strip Halo de novo
> Eric vaza na hora mas Dave me diz depois que Eric e o primo filho de sete putas tavam passando a mão nela enquanto ela tava meio desmaiada
> Diz que ele sente muito e que tentou impedir
> Não tenho mais ninguém pra ficar puto então desconto no Dave
> Uma hora ela me manda uma mensagem dizendo “você age como se houvesse algo para terminar”
> Mostro essa merda pro Dave e saio correndo chorando pra caralho
> Muito envergonhado para sequer lembrar disso
> Penso que minha vida acabou
> Ela vem em casa aquela noite, sem mensagens, sem ligação, sem nada
> Soluçando na porta
> Nem sei como ficar puto com ela
> Eu falo que tudo bem, eu ouvi o que aconteceu e te perdoo
> Ela continua chorando e a gente vai dormir
> No meio da noite ela solta um “eu te amo”
> Inexperadamenteomelhormomentodaminhavida.jpg
> Nem penso direito e falo “também te amo”
> “não importa o que aconteça?” ela pergunta
> Eu digo que sim
> Perguntar se não importa o que aconteça continua por um tempo
> Tenho um mal pressentimento
> Ela diz que não tinha pra onde ir depois que meus pais não deixaram mais ela vir dormir em casa
> Que ela odeia ficar na casa dela e como eu sabia o quanto ela odiava os pais dela
> Ela admite ter falado isso pro velhote por mensagem quando tava indo pra casa na Sexta (dia que o strip aconteceu)
> Ele diz que a casa dele tá livre até Segunda, e convida ela pra ficar lá
> Eu tô tremendo enquanto ela fala isso
> O jeito que ela estava agindo finalmente se encaixou e fez sentido na minha cabeça
> Nunca tive uma epifania desse jeito
> Eu nem tenho que perguntar mas eu faço mesmo assim
> Ela diz que eles foram até o fim
> Nem sei por que eu perguntei os detalhes mas eu precisava
> Quantas vezes?
> Ela diz que não sabe uma porrada de vez e no fim termina falando que foram 5
> Você gostou?
> Ela diz que não mas eu pressiono ela e ela diz que teve um orgasmo
> Que posições?
> Missionário e de quatro
> Preservativo?
> Pausa, não.
> Nós dois estamos chorando o tempo todo
> Ainda em estado de choque na manhã, ela tomou uma pílula do dia seguinte pelo menos
> Nós ainda estamos meio estranhos nos próximos dias mas eu tô estranhamente positivo
> Ela diz que me ama o tempo todo, antes não me dizia nunca
> Oficialmente colocamos isso no face
> Todos na escola souberam o que houve mas não dão sequer uma foda
> Damos a mão o tempo todo, dizemos um para o outro que enquanto tivermos um ao outro estará tudo bem
> Chega ontem
> Recebo uma mensagem do primo falando para eu ir lá
> Quase dou risada por ele pensar que nós vamos
> Depois das aulas eu procuro minha namorada, de verdade agora
> Vejo ela com Eric e Dave
> Ainda putasso com Eric, então já tá um clima ruim
> Mcq eles dizem que tão indo pra casa do primo
> Eu nem sei o que dizer
> Eu falo que não vou
> Quando fica claro que eles vão eu indo ou não eu acabo cedendo e indo junto
> Jogamos Halo e bebemos um pouco
> Tão bravo que nem sei o que fazer
> Sentimento de estranheza é ainda pior
> Sinto que nem sequer estou lá
> Tento fazer ela ir pra casa várias vezes, Eric e o primo convencem ela a ficar
> Ela fica no meu colo o tempo todo, meus braços ao redor dela
> Acabamos assistindo Prometheus
> Dave foi pra casa nesse ponto
> Cometi o erro de me levantar para pegar cerveja
> Quando eu volto ela está no colo do velho filho da puta
> Pergunto pra ela se está tudo bem
> Ela diz que sim
> Ela e o escroto começam a se beijar
> Eric diz “cara, relaxa”
> Mcq ela diz para ele “não se preocupa, ele sabe”
> Eu falo pra ela que eu estou indo pra casa
> Ela diz que vai ficar
Isso foi noite passada, eu não falei mais com ela depois disso.





é isso, se alguém quiser que eu mude alguma coisa é só falar
submitted by Dinohobby to brasilivre [link] [comments]


2018.11.22 18:02 Dinohobby Traduzi o famoso GT "don't worry, he knows"

Traduzi o famoso GT
esse texto é uma merda e eu não sei formatar pra ficar igual uma gt aqui, mas pelo menos agora quem não sabe inglês pode sofrer junto

https://preview.redd.it/kbb85loj1xz11.jpg?width=261&format=pjpg&auto=webp&s=025aeb7a52941a245760c0c67bcb8d1e971aaa6f

O que fazer /b/? Estou apaixonado pela mesma garota por basicamente minha vida inteira, mas a situação tá tão fodida agora que eu não sei como parar de ligar pra ela.
> apaixonado pela mesma garota minha vida toda
> conheço ela desde o jardim da infância
> os pais dela são pobres e vivem numa casa com um quarto e quatro crianças então ela vem dormir aqui quase toda noite
> saímos juntos quase todo dia por anos
> todos nossos amigos faziam piadas sobre a gente se casar um dia
> ela sabe que eu gosto dela e ela diz que sente o mesmo mas que “não quer rotular isso”
> consigo ficar com ela, mas nada além disso
> ela diz que gosta muito de mim e que tem medo de que vamos acabar fazendo “aquilo” se a gente tentar mais alguma coisa
> decido continuar sendo virgem até me casar com essa garota
> nós dois costumamos sair com dois garotos (vamos chamar eles de Eric e Dave)
> no geral é a gente jogando Halo na minha casa
> às vezes fumar uma verdinha quando Eric consegue um pouco
> falamos sobre festas mas nunca fomos convidados
> Eric começa a andar com o primo viado e velho dele de vez em quando
> Zoamos ele por sair com um cara de 37 anos
> Diz que o primo compra cerveja e deixa ele fumar na casa dele
> Bomporquenaodisseantes.jpg
> Começamos a ir pra casa do primo dele beber e jogar Halo uma vez por semana quando a esposa dele leva as crianças para ver os pais dela
> Ele compra a breja, tem comida, jogos, não é ruim
> Às vezes ele tem uma atitude cuzona de ficar mandando na gente e se achar o rei dos nossos rolês semanais mas foda-se
> Começo a trazer minha pseudo namorada pra lá
> Primo sempre tá de olho nela mas ela tá acostumada em ser a única garota dos nossos rolês então de boa
> Mesmo que esse velho fodido saiba que essa mina tá fora dos limites ele continua tentando dar em cima dela
> Pior parte é que ela parece não ligar
> Um dia ele pergunta por que não aparece que eu sou o namorado dela no face
> Mcq ela diz “ah, ele é mais um melhor amigo que qualquer outra coisa”
> Ódio pulsante quando ele diz “zé, tu tem que prender essa mina cara, ela tá transando”
> Só vemos esse fodido uma vez por semana e ela continua dormindo na minha casa sempre então acho que não vai dar em nada
> Eu continuo falando pra ela que ele é um pau no cu
> Ela concorda comigo mas diz “você me conhece, eu nem sei ser rude”
> Além disso a gente não pode simplesmente parar de ir, nosso ritual tá bem estável nesse ponto
> Uma hora começamos a misturar bebida com Halo, halobida
> Somos retardados não pensamos nisso antes
> Primo velhote fodido fica criando regras aleatórias toda vez
> “regras da casa” como ele diz
> Como a pseudo namorada não joga, às vezes ele cria regras envolvendo ela
> Ela tem que tomar as cervas se tiver um multikill, merda assim
> Um dia ele propõe que ela tenha que sentar no colo de quem ganhasse o próximo jogo
> Esse merda é o melhor de nós, então obviamente essa regra é pra ele
> Eu começo a falar “cara eu acho que ela não quer...”
> Quando ao mesmo tempo ela ri e diz “vocês viu...” implicando que tudo bem
> Me sinto como um baita viado por tentar proteger demais e vou na onda deles
> Ela fica a maior parte das próximas horas no colo dele
> Emputecido quando a gente foi pra casa, eu brigo com ela e depois nos reconciliamos como sempre
> Continua sendo essa merda pelas próximas vezes
> Maior parte das vezes sentadas de colo
> Às vezes fazem ela dançar uma “dança sexy só de zoas”
> Nada que eu possa ficar publicamente puto por
> Meu tio tem um casamento no mesmo dia que um desses rolês acontece
> Peço pra ela não ir
> Ela diz “provavelmente ela não vai”
> Peço de novo, praticamente implorando dessa vez
> Ela diz que vai tentar não ir mas que os garotos enchem muito o saco e que ela não sabe dizer não
> Ambas declarações são corretas, mas eu fico puto com ela e falo pra ela ter bolas o suficiente pra isso
> Brigamos de novo
> Não tenho tempo pra reconciliar antes de ir pro casamento
> Tenhoummalpressentimento.jpg
> Nervoso o fim de semana inteiro
> Falo com ela por mensagens na viagem de volta com meus pais, ela diz que vai me ligar quando eu voltar, pelo tom de voz dá pra saber que ela se sente culpada
> Aicaralho.png
> Acontece que ela ficou bêbada demais e eles implementaram stripping no jogo, primo, Eric e Dave viram ela completamente nua
> Queporraéessa.jpg
> Brigamos de novo
> Mcq eu percebo que eles tiveram mais prazer sexual com ela que eu até agora
> Penso que acabou, terei que procurar uma nova vida social agora
> Ela me chama de madrugada e vem em casa
> Chora pedindo desculpa, diz que tem um problema muito complicado com falar não e que vai tentar consertar isso
> Perdoo ela e vamos para a cama dando abraços
> Bem estranho com Eric e Dave a próxima vez que vejo eles
> Não falamos sobre o assunto mas eventualmente temos uma conversa de perdão meio estranha já que eu tô claramente bravo
> Ela para de ir na casa do primo pau no cu por um tempo
> Uma hora ela volta a ir
> “para consertar todas nossas amizades” ela diz
> As coisas de forma lenta mas firme começam a evoluir para o que era antes
> Eu sei que eu tenho que colocar um fim nisso
> Percebo que álcool é a principal diferença da minha casa para a casa do primo
> Começo a pegar bebidas do armário dos meus pais quando a gente joga Halo em casa
> Não sei muito bem o que eu tava pensando já que a gente continuava indo pra casa do primo
> Uma hora meus pais descobrem
> Minhas notas também tão caindo
> Combo deixa eles putos pra caralho
> Pseudo namorada não pode mais dormir em casa e eu não posso sair por uma semana
> Pseudo namorada e eu brigamos por isso e eu nem lembro o porquê
> Recebo mensagem do primo uns dias depois falando que ele vai ter a casa vazia e que é pra gente ir
> Noooooooooooooooooooooooooo.jpg
> Tento sair escondido mas sou pego
> Fico ligando pra ela o tempo inteiro mas ela ainda tá brava comigo e não atende
> Dia seguinte ainda sem contato, fim de semana então não vejo ela na escola
> Queporraéssaqueporracaralhoéessa.jpg
> Enlouqueço praticamente tendo um surto emocional
> Vejo ela na escola quando a Segunda finalmente chega
> Ela me ignora o dia todo
> Ela vai pra casa antes de eu poder encontrar ela depois da aula
> Chamo ela uma porrada de vez, falo pra ela que meu castigo acabou e que eu realmente quero falar com ela, se tiver acabado pelo menos que ela me fale isso
> Encontro Eric e Dave, muito nervoso para perguntar de forma tranquila o que caralho aconteceu
> Muito fodendo estranho mas basicamente eles me dizem que jogaram strip Halo de novo
> Eric vaza na hora mas Dave me diz depois que Eric e o primo filho de sete putas tavam passando a mão nela enquanto ela tava meio desmaiada
> Diz que ele sente muito e que tentou impedir
> Não tenho mais ninguém pra ficar puto então desconto no Dave
> Uma hora ela me manda uma mensagem dizendo “você age como se houvesse algo para terminar”
> Mostro essa merda pro Dave e saio correndo chorando pra caralho
> Muito envergonhado para sequer lembrar disso
> Penso que minha vida acabou
> Ela vem em casa aquela noite, sem mensagens, sem ligação, sem nada
> Soluçando na porta
> Nem sei como ficar puto com ela
> Eu falo que tudo bem, eu ouvi o que aconteceu e te perdoo
> Ela continua chorando e a gente vai dormir
> No meio da noite ela solta um “eu te amo”
> Inexperadamenteomelhormomentodaminhavida.jpg
> Nem penso direito e falo “também te amo”
> “não importa o que aconteça?” ela pergunta
> Eu digo que sim
> Perguntar se não importa o que aconteça continua por um tempo
> Tenho um mal pressentimento
> Ela diz que não tinha pra onde ir depois que meus pais não deixaram mais ela vir dormir em casa
> Que ela odeia ficar na casa dela e como eu sabia o quanto ela odiava os pais dela
> Ela admite ter falado isso pro velhote por mensagem quando tava indo pra casa na Sexta (dia que o strip aconteceu)
> Ele diz que a casa dele tá livre até Segunda, e convida ela pra ficar lá
> Eu tô tremendo enquanto ela fala isso
> O jeito que ela estava agindo finalmente se encaixou e fez sentido na minha cabeça
> Nunca tive uma epifania desse jeito
> Eu nem tenho que perguntar mas eu faço mesmo assim
> Ela diz que eles foram até o fim
> Nem sei por que eu perguntei os detalhes mas eu precisava
> Quantas vezes?
> Ela diz que não sabe uma porrada de vez e no fim termina falando que foram 5
> Você gostou?
> Ela diz que não mas eu pressiono ela e ela diz que teve um orgasmo
> Que posições?
> Missionário e de quatro
> Preservativo?
> Pausa, não.
> Nós dois estamos chorando o tempo todo
> Ainda em estado de choque na manhã, ela tomou uma pílula do dia seguinte pelo menos
> Nós ainda estamos meio estranhos nos próximos dias mas eu tô estranhamente positivo
> Ela diz que me ama o tempo todo, antes não me dizia nunca
> Oficialmente colocamos isso no face
> Todos na escola souberam o que houve mas não dão sequer uma foda
> Damos a mão o tempo todo, dizemos um para o outro que enquanto tivermos um ao outro estará tudo bem
> Chega ontem
> Recebo uma mensagem do primo falando para eu ir lá
> Quase dou risada por ele pensar que nós vamos
> Depois das aulas eu procuro minha namorada, de verdade agora
> Vejo ela com Eric e Dave
> Ainda putasso com Eric, então já tá um clima ruim
> Mcq eles dizem que tão indo pra casa do primo
> Eu nem sei o que dizer
> Eu falo que não vou
> Quando fica claro que eles vão eu indo ou não eu acabo cedendo e indo junto
> Jogamos Halo e bebemos um pouco
> Tão bravo que nem sei o que fazer
> Sentimento de estranheza é ainda pior
> Sinto que nem sequer estou lá
> Tento fazer ela ir pra casa várias vezes, Eric e o primo convencem ela a ficar
> Ela fica no meu colo o tempo todo, meus braços ao redor dela
> Acabamos assistindo Prometheus
> Dave foi pra casa nesse ponto
> Cometi o erro de me levantar para pegar cerveja
> Quando eu volto ela está no colo do velho filho da puta
> Pergunto pra ela se está tudo bem
> Ela diz que sim
> Ela e o escroto começam a se beijar
> Eric diz “cara, relaxa”
> Mcq ela diz para ele “não se preocupa, ele sabe”
> Eu falo pra ela que eu estou indo pra casa
> Ela diz que vai ficar
Isso foi noite passada, eu não falei mais com ela depois disso.





é isso, se alguém quiser que eu mude alguma coisa é só falar
submitted by Dinohobby to brasil [link] [comments]


2018.11.01 00:08 Eunaoaguentomais Não conheço mais o meu pai e quero que ele morra.

Desabafo longo.
Começando ano passado, minha avó paterna teve um avc, ficou dependente de tudo, e quem cuida dela sou eu e minha mãe.
Agora, sempre desconfiei que meu pai traía a minha mãe, já vi mensagens mas nada de concreto, com foto. Minha mae começou a desconfiar também, e a bomba explodiu.
Meu pai desabafou pra minha Tia, tava traindo minha mãe com um homem. Até ai tudo "bem", é uma traição mas enfim. O que me deixa inconformado é ele trair minha mãe, é motorista rodoviário, dizer que ia viajar, mas ia pra casa do namorado, deixando minha mãe e eu nos fodendo com minha avó e gastando toda aposentadoria dela, deixando contas e faltando coisas em casa. Não posso nem sair de casa as vezes porquê tenho que olhar-lá, o mesmo da minha mãe.
Ele ficou uma semana fora, voltou e pedi pra conversar, me contou tudo, olhou nos meus olhos, do filho dele e contou só mentiras, botou a culpa em mim e na minha mãe, que a gente não da carinho, abraço, ele se sente sozinho, sendo que ele toda vez que chega em casa arruma briga por TUDO, literalmente tudo, um copo fora do lugar era motivo pra briga.
Pedi pra ele não dormir em casa segundo pq minha mae tava tendo crise de ansiedade só por estar na presença dele.
O problema amigos, a casa é da minha avó paterna, não nossa. Então nao tem como ele sair. Ele teima em ficar aqui, que não tem onde ir, que nao vai dar cartão da aposentadoria nem nada.
A família inteira ja sabe, chamei minhas tias, conversamos mas ELAS ESTÃO COM DÓ DO FILHO DA PUTA, fez a cabeça delas. Tive que pegar os cartões na força pq ele não queria dar, disse que nao ia sair, que iam ter que aceitar ele aqui. Tivemos uma briga horrorosa, ele acha que é inocente, culpa todo mundo, eu, que to fazendo a vida dele um inferno, sendo que mantive a calma segunda pra não acontecer nada e nao fiz nada.
Xinguei ele de tudo, babaca, otário, vagabundo, tudo, que nao quero ser considerado filho dele mais. Consegui entrar no fb dele, achei mensagens. Falou comigo segunda que foi a primeira vez que traiu minha mãe, mas vem de tempos isso, vários casos. Ele chegou há levar um desses casos na roça da família da minha mãe, a família dela viu mas não contou pq achou que ela deveria descobrir sozinha. Um absurdo.
Ele teve a coragem de olhar no meu olho e contar várias mentiras. Eu conheço ele há 20 anos e parece que é outra pessoa.
Falou que não vai dar o carro, apesar de ter sido minha mãe que tenha dado o dinheiro todo e colocou o nome dele pq fez a cabeça dela.
Eu estou perdido demais, a ponto de surtar. Se ver ele de novo não sei se vou manter a paciência. O tanto de tristeza que ele tá causando na minha mãe, incertezas no futuro. Minha mãe tendo crises diárias, tive que faltar na faculdade pra ela não ficar sozinha. Eu nao sei o que faço da minha vida.
Tbm nem sei que conselho eu peço, só quero desabafar, chorar
É isso
submitted by Eunaoaguentomais to desabafos [link] [comments]


INDO COMER COM A FAMILIA DO MEU NAMORADO JAPONES PELA PRIMEIRA VEZ! PAGUEI MICO KKKK Série Relacionamentos - O que fazer ao conhecer os pais do namorado Conhecendo os pais do Gabriel-(Gacha Life) °•Yuko conhecendo os pais da yui•°Gacha life Meu namorado não me apresenta para a família dele Conversas com os pais ao jantar com o meu namorado ... Conhecendo os pais do meu namorado!! Os meus pais conhecendo o meu namorado MEUS PAIS ODEIAM MEU NAMORADO  Dora Figueiredo MEU PAI NÃO ACEITA MEU NAMORO

Pai, eu não conheço teus planos.. Mas tu conhece meu ...

  1. INDO COMER COM A FAMILIA DO MEU NAMORADO JAPONES PELA PRIMEIRA VEZ! PAGUEI MICO KKKK
  2. Série Relacionamentos - O que fazer ao conhecer os pais do namorado
  3. Conhecendo os pais do Gabriel-(Gacha Life)
  4. °•Yuko conhecendo os pais da yui•°Gacha life
  5. Meu namorado não me apresenta para a família dele
  6. Conversas com os pais ao jantar com o meu namorado ...
  7. Conhecendo os pais do meu namorado!!
  8. Os meus pais conhecendo o meu namorado
  9. MEUS PAIS ODEIAM MEU NAMORADO Dora Figueiredo
  10. MEU PAI NÃO ACEITA MEU NAMORO

JAPÃO QUE VOCÊ NÃO SABIA 262,794 views 10:01 COOKING KOREAN FOOD - COZINHANDO COMIDAS TRADICIONAIS NA CASA DA FAMÍLIA DO MEU NAMORADO COREANO - Duration: 10:11. como fazer os seus pais deixarem vocÊ namorar? ... fui pedida em namoro pelo meu melhor amigo 💍 e meu pai disse nÃo ... 19:26. larissa flor 759,911 views. 19:26. joguei Água no xbox do meu ... O dia em que meu namorado conheceu meu pai - Duration: ... 7:01. Harumi-Baka ; 329,552 views. 7:01 •O Dia Que Eu Conheci Os Pais Do João ... Conhecendo os pais do Noa e do Luke (gacha life ... Hoje eu conheci os pais do Gabriel e o nome filme especial de 1k tá quase pronto ♥️ Obrigada por ler a descrição! ... O dia em que meu namorado conheceu meu pai - Duration: 6:51. Lobinha ... Baseado em factos reais :) As Minhas Redes Sociais: INSTAGRAM: https://www.instagram.com/mafaldacreative/?hl=pt FACEBOOK: https://www.facebook.com/Mafalda-cr... Meu namorado não me apresenta para a família dele The Love School (Escola do Amor) é um programa para quem quer aprender como ser feliz na vida amorosa. Assista todos os sábados 12h na Rede ... AO VIVO - Paróquia São Pedro SJP 18 Domingo do Tempo Comum - Dia do Padre - 02/08/2020 Paróquia São Pedro SJP 140 watching Live now 5 dicas para não pagar mico com os pais do namorado - Duration: 7:45. Carol Estrella 101,676 views. 7:45. ... Vlog: Conheço a Família do Meu Namorado? - Duration: 14:05. MEUS PAIS ODEIAM MEU NAMORADO Dora Figueiredo ... Seus pais não gostam de quem você namora? Vivem enchendo o seu saco por causa disso? ... Meu pais não aprovam o namoro, o que fazer? Eu ... Gente me desculpa por estar muito sumida é pq deu uma merda com o meu celular e não deu pra eu fazer os vídeos mais eu volteiiiii.